revista puc minas

Artigo
Atenção integral ao paciente

atencao_paciente 1

Humanização no atendimento em saúde pressupõe a união de comportamento ético, conhecimento técnico e cuidado dirigidos às necessidades das pessoas

“Humanizado pressupõe a união de um comportamento ético com conhecimento técnico e com a oferta de cuidados dirigidos às necessidades das pessoas”

Rafaela Angeli
IMG_16222

Não há dúvidas de que os avanços do conhecimento e da técnica têm forte repercussão na área da saúde, tanto no diagnóstico quanto no tratamento, tanto na prevenção quanto na cura das doenças, refletindo diretamente no conforto pessoal, na qualidade de vida e na longevidade das pessoas. A necessidade de se falar de humanização no atendimento em saúde surge quando se constata que a evolução científica e a técnica dos serviços de saúde não têm sido acompanhadas por um avanço correspondente na qualidade das relações interpessoais que ocorrem no cotidiano do trabalho em saúde.

Um atendimento humanizado pressupõe a união de um comportamento ético com conhecimento técnico e com a oferta de cuidados dirigidos às necessidades das pessoas. Considerando a integralidade dos diversos aspectos humanos no cuidado, o profissional de saúde deve deixar de avaliar a doença, passando a cuidar do doente, da pessoa que, circunstancialmente, está sofrendo. Além dos aspectos físicos, devem ser abordadas as dimensões sociais, psíquicas, emocionais e espirituais. Além do cuidado individual, para que ocorra essa integralidade do cuidado, é necessário que o trabalho em saúde seja realizado em processos coletivos nas equipes multiprofissionais. Saber trabalhar em grupo, saber escutar e respeitar os diversos pontos de vista tornam-se importantes características de um profissional qualificado.

Humanizar é, também, estimular posturas ativas da pessoa em seu processo de cura, reconhecendo-a como protagonista do seu cuidado e valorizando seu saber e conhecimento.

Humanizar o trabalho em saúde pressupõe, ainda, a valorização dos demais sujeitos envolvidos no processo do cuidado, o que implica uma mudança na gestão dos sistemas de saúde e seus serviços. Essa mudança altera o modo como usuários e trabalhadores da área da saúde interagem entre eles. Valorizar o trabalhador significa não apenas possibilitar condições de trabalho e salário digno, mas, também, aumentar seu grau de participação na gestão dos serviços, propiciando um sentimento de pertencimento, elevando o grau de satisfação, adesão e criatividade na execução das atividades e qualificando o trabalho.

Atualmente, a humanização no trabalho em saúde vem sendo objeto de intenso debate nacional e internacional. A Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão – HumanizaSUS –, implantada em 2006 pelo Ministério da Saúde, possibilitou ampliar esta discussão no País de modo transversal, dentro e fora do Sistema Único de Saúde. Os valores que norteiam essa política são a “autonomia e o protagonismo dos sujeitos, a corresponsabilidade entre eles, o estabelecimento de vínculos solidários, a construção de redes de cooperação e a participação coletiva no processo de gestão”.

Nessa perspectiva, o Curso de Medicina da PUC Minas em Betim investe na formação dos seus alunos com o objetivo de “graduar médicos com formação geral, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo de saúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano”, conforme preconizado nas Diretrizes Curriculares Nacionais de Graduação em Medicina – 2014 do Ministério da Educação e Cultura e Ministério da Saúde.

A fim de alcançar esses objetivos, o Curso de Medicina do campus Betim prepara o profissional não apenas para o conhecimento dos conceitos e das técnicas clínicas e cirúrgicas, mas também para o desenvolvimento de habilidades e atitudes que humanizam o exercício da profissão. Além das disciplinas de fundamentação biológica e das clínicas de Urgência e Emergência, Pediatria, Clínica Médica, Cirurgia, Ginecologia e Obstetrícia, dentre outras, realizadas tanto nos laboratórios de integração e de simulação como em espaços de formação na Rede de Atenção à Saúde nos municípios de Betim e de Belo Horizonte, o estudante participa de disciplinas de conteúdos humanísticos, como Ciências Sociais Aplicadas à Saúde, Filosofia/Modernidade, Filosofia/Antropologia e Ética, Bioética, Cultura Religiosa/Fenômeno Religioso, Cultura Religiosa/Pessoa e Sociedade.

As disciplinas de Medicina Preventiva Social (I, II, III e IV) e o Internato de Saúde Coletiva abordam os temas relacionados à gestão do cuidado, dos serviços e sistemas de saúde, tão importantes para humanização no trabalho em saúde, como já pontuado acima.

O Curso de Medicina da PUC Minas promove a exposição dos alunos à realidade do processo saúde-doença e da prestação de serviços de saúde voltados aos indivíduos e às comunidades, já a partir do primeiro período nas Unidades Básicas de Saúde. Tal contato com a realidade possibilita uma adequada contextualização do ensino médico, bem como o desenvolvimento de capacidade crítica em relação a essa realidade, possibilitando a vivência do vínculo com os usuários, com as equipes de saúde e gestores dos serviços, além do desenvolvimento da responsabilidade social e sanitária do futuro profissional médico. Algumas experiências de humanização da atenção realizadas pelos alunos já estão sendo divulgadas, como as diversas atividades de intervenção, relacionadas com a promoção e prevenção da saúde, realizadas pelos alunos na Disciplina das Práticas na Comunidade I, II, III e IV e formação de um grupo de alunos nas oficinas do PUC Dá Alegria.

Sabemos que a formação de um profissional humanista depende não apenas dos conteúdos debatidos, mas também da forma com que o aluno aprende e convive com os demais sujeitos envolvidos nesse processo. Além do incentivo à reflexão e atitudes humanísticas que transversalizam as várias atividades e disciplinas, uma das características marcantes do Curso de Medicina da PUC Minas é o acompanhamento do professor mentor da turma. O mentor é um agente facilitador do processo ensino-aprendizagem, focado no percurso realizado pelo aluno ao longo desse processo. Como observador privilegiado, cada mentor dedica atenção exclusiva à mesma turma, do 1º ao 12º períodos. Essa relação longitudinal possibilita a esse professor o melhor conhecimento de cada aluno, com maior possibilidade de percepção de suas necessidades educacionais, além de propiciar o desenvolvimento de habilidades humanísticas baseado em um vínculo mais próximo, prolongado e afetivo com o aluno.

Texto
Adriana Diniz de Deus
O atendimento humanizado em saúde é tema de artigo da professora do Curso de Medicina no campus Betim. Mestre em Saúde Pública pela UFMG, Adriana diz que a evolução científica e técnica dos serviços de saúde não tem sido acompanhada por um avanço correspondente na qualidade das relações interpessoais no cotidiano do trabalho em saúde e chama a atenção para o fato de que o profissional da área deve deixar de privilegiar a avaliação da doença em detrimento do cuidado com o doente. Ela destaca a atuação do Curso de Medicina da PUC Minas, que prepara o profissional não apenas para o conhecimento técnico, mas também para o desenvolvimento de habilidades e atitudes que humanizam o exercício da profissão.
Fotos
1Washington Alves / Lightpress
2Marcos Figueiredo
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais