revista puc minas

Graduação Atualização permanente

Empreendedorismo, inovação e ensino
híbrido presentes no cotidiano dos cursos

“A Universidade está sempre alinhada às novas tendências, sempre tentando antever quais são as demandas de formação, de mercado”

Professora Maria Inês Martins, pró-reitora de Graduação

Empreendedorismo, inovação e ensino híbrido são temáticas que estão presentes no dia a dia da nova geração de universitários e nos fóruns de discussão das constantes atualizações dos projetos pedagógicos dos cursos de graduação da PUC Minas. Hoje tão comuns, são termos que não pertenciam às preocupações da geração universitária na década de 1950, quando a Universidade nasceu. Muito aconteceu nestes 60 anos e a Instituição, através da graduação, muito mais do que acompanhar as tendências, sempre esteve à frente, pensando o futuro.

“Temos exemplos em todas as áreas do conhecimento. Na tecnologia, com Engenharia de Computação e Tecnologia em Jogos Digitais. Também a Engenharia de Energia, que na época do lançamento antecipou a necessidade de geração de novas fontes sustentáveis de energia e foi um dos primeiros a serem lançados no país”, comenta a pró-reitora de Graduação, professora Maria Inês Martins. “Até mesmo para os cursos um pouco mais tradicionais, a PUC encontra um tom, uma ênfase diferente, buscando a inserção de seus profissionais no mercado de trabalho. É o caso da Engenharia Aeronáutica, que, além da ênfase em projetos, também forma profissionais capacitados para a manutenção de aeronaves, que é uma demanda de mercado”, afirma. Também alinhado às novas demandas do mercado de trabalho, a Universidade criou o Curso de Engenharia de Software, que segue a linha das metodologias ativas. “Estamos sempre alinhados às novas tendências, sempre tentando antever quais são as demandas de formação, de mercado. E nossa maior confiança é que temos competência nas áreas, que estão muito aguerridas nessas discussões”, ressalta a professora Maria Inês.

Também na linha das metodologias ativas, em que o aluno desempenha papel ativo no processo de ensino/aprendizagem, a Universidade continua caminhando na direção do ensino híbrido, com a implantação, em andamento, de disciplinas semipresenciais. “O modelo semipresencial é muito interessante porque permite ao aluno experimentar na mesma disciplina os dois modelos de ensino, usufruindo da interação presencial e das possibilidades que o ambiente virtual oferece, como a personalização do estudo. Ou seja, o estudante controla alguns elementos como o tempo, a forma, o ritmo e o local de estudo, o que o torna um protagonista no processo”, completa.

Uma das forças da graduação da Universidade são os cursos de licenciatura, que estão presentes em todas as áreas de formação. “Temos um contato muito forte com as redes municipal, estadual e privada de ensino. Isto fortalece o aprendizado dos nossos alunos. Um exemplo é a residência pedagógica, que começou este semestre”, assinala a professora Maria Inês, explicando que a residência é um projeto de cooperação que promove a imersão do licenciando nas escolas de educação básica, desenvolvendo atividades acompanhadas por um professor da escola e orientadas por um docente da Universidade.

Já a interação dos egressos com o mercado pode ser medida por alguns índices, entre eles o Ranking Universitário Folha (RUF), que, desde 2012, destaca a preferência das empresas pela contratação de profissionais formados na PUC Minas. Em 2018, por exemplo, a Universidade ocupou o terceiro lugar no país, nesse quesito que se refere às instituições privadas. “As avaliações externas não oficiais, tais como o Guia do Estudante, o RUF, além de premiações recebidas pela Universidade, reafirmam nosso compromisso de formação integral e reconhecida inserção no mercado de trabalho”, pontua a professora Maria Inês.

Empreendedorismo e inovação

A pró-reitora de Graduação destaca ainda que a Universidade está conectada e engajada às temáticas que são próprias da contemporaneidade. O empreendedorismo e a inovação andam juntos e independem da área de formação. “As competências e habilidades próprias do profissional empreendedor e que busca a inovação são tendências que determinam a ocupação das pessoas no futuro e que são muito fortes no presente”, explica a professora Maria Inês. “Por isso, o empreendedorismo está nos cursos de graduação na forma de disciplinas ou de iniciativas. E estas iniciativas têm a característica predominante de integrar cursos e áreas”, explica.

Texto
Michelle Stammet
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais