revista puc minas

Graduação Desenvolvimento de habilidades

Disciplinas semipresenciais consideram aluno como protagonista do seu processo de aprendizagem

De acordo com o último Censo da Educação Superior (2016), publicado pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), entre 2006 e 2016 houve um aumento de 62,8% no número de matrículas na educação superior, com média anual de crescimento de 5%. Isso quer dizer que, na última década, milhões de pessoas se graduaram e se especializaram no país, disponibilizando ao mercado mão de obra qualificada. “Com a concorrência cada vez maior, não basta apenas um diploma em mãos, é preciso que o profissional tenha acesso a uma formação focada no desenvolvimento das competências que o mercado procura”, afirma a professora Júnia Lage, coordenadora de EAD na PUC Minas Virtual.

Acompanhando as tendências atuais na área da Educação e o que vem sendo praticado em instituições de ensino renomadas, tanto nacional quanto internacionalmente, como a Stanford University, PUC Paraná e PUC Rio Grande do Sul, entre outras, a PUC Minas implantou, no segundo semestre de 2017, na grade curricular de alguns de seus cursos de graduação presenciais, as disciplinas semipresenciais. “No primeiro semestre de 2018, a oferta foi expandida e a perspectiva é de que, até o final do ano, ela seja realidade na maior parte dos cursos de graduação da Universidade”, afirma Lage.

 

Espaços de aprendizagem

Na PUC Minas, uma disciplina semipresencial acontece em dois espaços de aprendizagem: a sala de aula presencial e o espaço virtual de aprendizagem. No espaço virtual, o aluno tem acesso ao material didático necessário para o desenvolvimento da parte teórica da disciplina, tais como videoaulas, áudios, textos e atividades, por exemplo, além de encontrar ferramentas de interação com o professor e com os seus colegas de turma. Já na parte presencial da disciplina, em sala de aula, o aluno tem a oportunidade de aplicar o conhecimento teórico no desenvolvimento de projetos, problematizar aspectos relacionados às atividades propostas, além de construir conhecimento de forma colaborativa, com seus colegas.

Vantagens da modalidade

Bruno Simões, aluno do Curso de Ciência da Computação, acredita que é de fundamental importância que os alunos consigam associar o que aprendem em sala de aula com os vários desafios encontrados no mercado de trabalho. Para ele, que cursou a disciplina semipresencial Computação Paralela no segundo semestre de 2017, uma das grandes vantagens da disciplina é o fato de ela favorecer o uso de metodologias ativas de aprendizagem. “Essas metodologias, que abordam o processo de educar como algo além da mera transmissão de conhecimento, entendem o aluno como parte ativa do seu processo de aprendizagem e o estimulam a reconhecer problemas reais (tanto regional quanto localmente) e a buscar soluções para esses problemas de forma crítica e criativa, sempre com o apoio do professor”, afirma.

“Ao adotarmos metodologias ativas como a sala de aula invertida, por exemplo, além de possibilitarmos ao aluno flexibilidade para que ele estude a parte teórica nos momentos mais oportunos para ele, melhorando a sua produtividade, abrimos espaço para que ele consiga aplicar a teoria, de forma reflexiva, nos projetos práticos desenvolvidos em sala de aula”, conta Luis Fabrício Góes, que foi o professor virtual de Simões na disciplina semipresencial Computação Paralela. “Além da sala de aula invertida, outras práticas como a avaliação por pares e a focada em competências podem ser vistas como possibilidades metodológicas a serem trabalhadas”, completa o professor.

Essa estratégia de aprendizagem pretende aproveitar o que há de melhor nos dois espaços. “Certamente, a inserção de disciplinas semipresenciais na grade curricular dos cursos de graduação pode ser vista como um avanço, representando considerável melhora no que diz respeito à didática. Com esse novo modelo, temos material virtual disponível para assistirmos ou lermos quantas vezes precisarmos, além de professor a postos para solucionar dúvidas no ambiente virtual de aprendizagem. Tanto a parte virtual quanto a presencial nos fornecem um leque de ferramentas que nos tornam capazes de atuarmos ativamente em problemas reais”, finaliza Simões.

 

Texto
Rennan Antunes
Infográfico
Brava Design
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais