revista puc minas

Meio Ambiente Educação ambiental

foto-1-83
Professor Daniel, com estudantes de Engenharia e da Escola Municipal João Pinheiro

Projeto debate com crianças do ensino fundamental ações sobre saneamento básico

Saneamento básico: conjunto dos serviços, infraestrutura e instalações operacionais de abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza e drenagem urbana, manejos de resíduos sólidos e de águas pluviais. Direito assegurado no Brasil pela Constituição e definido pela Lei nº. 11.445/2007, esse serviço ainda está longe de atingir a universalização do acesso, principalmente no que se refere à coleta e tratamento de esgoto. O país ainda convive com índices alarmantes de saneamento: dados do Instituto Trata Brasil, divulgados em 2018, mostram que mais de 35 milhões de pessoas ainda não têm acesso à água tratada, metade da população não possui coleta de esgotos e somente 45% dos esgotos gerados no país são tratados.

Diante desses números, o professor Daniel Fernandes Novaes Pimenta, que leciona a disciplina de saneamento básico no Curso de Engenharia Civil da PUC Minas Poços de Caldas, decidiu trabalhar e discutir medidas com crianças de oito a 10 anos sobre o tema, pensando nesses alunos como multiplicadores de ações. “Precisamos conscientizar os alunos desde pequenos sobre a importância do meio ambiente, dos recursos hídricos e do cuidado com o saneamento, para que possam cobrar efetivamente dos órgãos competentes”, destaca o professor Daniel.

O projeto, que acontece na Escola Municipal João Pinheiro semanalmente, tem o objetivo de promover práticas de educação ambiental, com enfoque no saneamento básico e na realidade da cidade. As atividades são propostas para modificar a realidade da escola e orientar crianças e alunos da Universidade quanto à necessidade de conhecer os problemas relacionados à falta de saneamento básico no município.

Equipe formada por alunos dos cursos de Engenharia Civil e Engenharia Elétrica recebe o treinamento e repassa o aprendizado sobre o tema para os estudantes do ensino fundamental. Gabriel de Oliveira, do Curso de Engenharia Civil, diz que alguns resultados concretos já surgiram do projeto, a partir de conceitos incorporados pelas crianças. Uma das práticas abordou os temas da reciclagem e coleta seletiva, que já existem em Poços de Caldas. “Muitos alunos não conheciam este programa e, ao voltarem às suas casas, conversaram sobre o assunto com seus familiares. Nas semanas seguintes, alguns deles nos contaram que seus pais já faziam a separação do lixo. Acredito que outros temas abordados nas práticas também possam causar impactos imediatos em suas vidas”, comenta Gabriel. Foi o que ocorreu com Lavínia Vitória dos Santos, 10 anos, uma das beneficiárias do projeto: “Quando a gente aprendeu sobre a reciclagem e a coleta seletiva, cheguei em casa, contei o que eu tinha aprendido e entreguei o panfleto para minha mãe, para ela poder saber como funcionava também”.

O projeto propõe, agora, a construção de uma Estação de Tratamento de Água Itinerante, que simula todo processo de tratamento e está sendo desenvolvida na Universidade. Propõe também a construção de uma horta na escola, onde os alunos vão poder cuidar das mudas e se alimentar delas.

 

Saiba mais

  • No Brasil mais de 35 milhões de pessoas ainda não têm acesso à água tratada
  • 50% da população não possuem coleta de esgotos
  • Somente 45% dos esgotos gerados no Brasil são tratados

Fonte: Instituto Trata Brasil/2018

Texto
Beatriz Reis
Foto
Felipe Pádua
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais