revista puc minas

Extensão Universitária Extensão Universitária na PUC Minas

foto-11

A PUC Minas é referência no que diz respeito à extensão universitária. Desde a década de 1960, os departamentos e cursos de graduação promoviam, de forma isolada, atividades culturais, conferências, cursos e prestação de serviços às comunidades em situação de vulnerabilidade. Com o passar dos anos e o crescimento da Universidade, a extensão foi ganhando uma nova configuração até que, em 1983, foi estruturada a Pró-reitoria de Extensão e Ação Comunitária. Em junho de 1990, a Ação Comunitária foi desmembrada da Pró-reitoria de Extensão, tornando-se Secretaria de Ação Comunitária.

Podemos destacar, ao longo dos anos, o processo de institucionalização da extensão universitária na PUC Minas. Iniciado com a aprovação da Política de Extensão Universitária, em 2006, a institucionalização vem se dando, em especial, via aproximação com os cursos de graduação, perpassa a integração ensino-pesquisa-extensão, o desenvolvimento de habilidades e competências dos nossos alunos e o fortalecimento da Rede Proex, à qual compete uma gestão sistêmica da extensão, estrutura que assegura à PUC Minas destaque quando comparada às demais Instituições de Ensino Superior (IES).

Isso significa mais qualidade nos trabalhos desenvolvidos e a concretização do compromisso social que a Universidade tem na formação acadêmica e profissional dos estudantes, assegurando sua vocação técnico-científica e humanizadora, respeitando-se os valores de igualdade, liberdade, autonomia, pluralidade, solidariedade e justiça, princípios adotados pela PUC Minas e refletidos nos seus projetos e programas extensionistas. As atividades de extensão, integradas ao ensino e à pesquisa, possibilitam a interlocução da Universidade com a sociedade e a participação de diversos segmentos sociais em suas ações, contribuindo para a promoção da cidadania, a inclusão e o desenvolvimento social e demonstrando um grande dinamismo e criatividade.

 

Professor Wanderley Chieppe Felippe – Pró-reitor de Extensão

Avanços e conquistas da Extensão

Este caderno apresenta, de modo sintético, a extensão universitária na PUC Minas, referência no que diz respeito às ações consistentes e inovadoras, em suas diversas modalidades: programas, projetos, cursos, eventos, prestação de serviços, produções culturais, científicas e tecnológicas e práticas curriculares de extensão. O objetivo desta publicação é apresentar, mesmo que de forma sucinta, como a Universidade, amparada pelo princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, cumpre sua função social e confirma sua vocação comunitária, contribuindo de forma exemplar para o cumprimento de sua missão em formar profissionais competentes que se baseiam pela ética e pelo bem comum.

Alunos de graduação e de pós-graduação, orientados por professores, desenvolvem atividades extensionistas em diversas localidades de Minas Gerais, com público variado, inclusive e especialmente em comunidades que requerem olhares mais atentos da sociedade, como pessoas com deficiência, comunidades remanescentes de quilombolas, crianças e adolescentes em situação de risco social, população de rua e carcerária, idosos, pessoas excluídas do mercado de trabalho, entre outros.

As ações integradas possibilitam a produção e disseminação das ciências, das artes e da cultura, a interdisciplinaridade e a integração entre a Universidade e os demais setores da sociedade. As relações estabelecidas com distintos grupos da sociedade no contexto de programas, projetos, eventos, cursos e ações de extensão comprovam o diálogo constante que é estabelecido cotidianamente nas atividades acadêmicas. Esse diálogo tem sido constantemente aprimorado, desde 2009, quando a Pró-reitoria de Extensão passou a contar com uma Assessoria de Comunicação, vinculada à Secretaria de Comunicação da Universidade, dedicada a dar visibilidade às ações de extensão.

Nesse diálogo ampara-se também o papel transformador da extensão. Alunos e professores sempre alegam a transformação de sua visão de mundo, o alargamento de suas possibilidades de estudos como resultado da experiência extensionista. O contato com a sociedade retroalimenta o ensino e a pesquisa e a própria extensão, contribuindo para o desenvolvimento de novos conhecimentos científicos, oxigenando a Universidade.

Além da institucionalização da extensão universitária na PUC Minas, podemos destacar outros avanços importantes nesses últimos anos, como a gestão sistêmica e compartilhada da extensão, o financiamento dos projetos de extensão, a qualificação dessas atividades, o aprimoramento das metodologias de acompanhamento, monitoramento e avaliação de suas ações e a ampliação do número de alunos extensionistas.

Essa ampliação muito se deveu à criação das práticas curriculares de extensão no âmbito dos cursos de graduação da PUC Minas. A curricularização da extensão universitária é um caminho viável e eficiente para possibilitar que todos os alunos participem de atividades extensionistas.

Por ser complexa e capilar, a extensão universitária será apresentada aqui a partir dos seis eixos temáticos que perpassam as grandes áreas do conhecimento, assim como os institutos e faculdades da Universidade.

 

Números da Extensão entre 2012 e 2016

  1. Projetos desenvolvidos

    995

  2. Professores e técnicos envolvidos

    4.735

  3. Alunos extensionistas envolvidos (bolsistas e voluntários)

    29.849

  4. Beneficiados diretos

    953.326

  5. Beneficiados indiretos

    3.988.770

  6. Eventos de extensão

    873

  7. Cursos de extensão ofertados

    485

Direitos humanos e inclusão

foto-21

O Núcleo de Direitos Humanos e Inclusão tem como objetivo coordenar, executar e propor diretrizes, programas, projetos e ações para assegurar direitos sociais (educação, saúde, trabalho, acessibilidade etc.) de grupos socialmente excluídos/marginalizados quanto à etnia, raça, orientação sexual e deficiência. O projeto de extensão Andanças: população em situação de rua e práticas transdisciplinares, realizado desde 2015 com fomento da Proex, beneficiou, diretamente, no ano passado, 300 pessoas. Desenvolvido em parceria com a Pastoral de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte, o objetivo do projeto é promover um conjunto de práticas psicológicas, de saúde, comunicacionais e jurídicas, junto à população em situação de rua no município de Belo Horizonte, com especial atenção para as ações que envolvem o trabalho transdisciplinar junto a essa população.

Outra atividade representativa do NDHI é o projeto (A)penas Humanos: ações interdisciplinares no âmbito da Apac, desenvolvido em parceria com a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado de Santa Luzia (foto) há sete anos, que visa contribuir para a efetivação e o aprimoramento do método Apac, a humanização do cumprimento da pena privativa de liberdade, integrando-se à rede intersetorial de atendimento ao sentenciado em cumprimento da pena privativa de liberdade. Em atividades interdisciplinares no âmbito da saúde, educação, assistência jurídica, com incentivo ao restabelecimento do vínculo familiar e a inserção no mundo do trabalho, as ações são desenvolvidas por alunos e professores dos cursos de graduação em Psicologia, Direito, Serviço Social, Enfermagem, Ciências Biológicas, Letras e Fisioterapia. As ações extensionistas desenvolvidas nesse projeto contribuem para promover a inclusão e a efetivação dos direitos e da cidadania da população carcerária brasileira e a diminuição dos índices de reincidência e de superlotação do sistema prisional tradicional.

 

Núcleo de Direitos Humanos e Inclusão (NDHI)

  1. Linhas temáticas:

  2. 1. Educação e cultura em Direitos Humanos

  3. 2. Inclusão social da população dos sistemas prisional e socioeducativo, egressos e familiares

  4. 3. Educação em Direitos Humanos dos agentes dos Sistemas de Justiça e Segurança

  5. 4. Relações étnico-raciais e promoção da igualdade racial

  6. 5. Relações de gênero e políticas de enfrentamento às desigualdades e violências

  7. 6. Práticas extrajudiciais de resolução de conflitos

  8. 7. Educação e capacitação para pessoas com deficiência e da pessoa idosa

  9. 8. Pessoa humana, espaço e tempo sagrados

  10. Institutos e Faculdades de Interlocução: Instituto Dom João Resende Costa e Faculdade Mineira de Direito

  11. Contato: ndhi@pucminas.br

Criança, adolescente e jovem

Foto-32

O Núcleo de Investigação e Extensão da Criança, do Adolescente e do Jovem (ICA) tem como objetivo a articulação, no âmbito da PUC Minas, dos projetos de extensão que envolvem o tema crianças, adolescentes e jovens, assim como fomentar a produção científica da Universidade acerca dessas temáticas. A proposta do ICA é constituir-se como um centro aglutinador e propiciar campos de observação e levantamento de questões para posterior análise teórica. Nessa perspectiva, a equipe multidisciplinar do núcleo desenvolve o Observatório da Escola, a fim de fomentar a discussão e o enraizamento das temáticas nos cursos de licenciatura da PUC Minas, promover a formação continuada de professores e alunos desses cursos, assim como promover encontros e colóquios como espaços de discussão e trocas de experiências entre professores e alunos. Por ser referência nessa temática, o ICA já desenvolveu quatro diagnósticos da situação da criança, do adolescente e do jovem, que subsidiaram a proposição de políticas públicas para garantir os direitos de crianças e adolescentes nos municípios de Betim, Sete Lagoas, Capelinha e Nova Lima.

Com a missão de ser um centro de atenção em tempo integral que oferece atividades complementares à escola, atendendo mais de mil crianças, adolescentes e jovens, o Espaço Criança Esperança de Belo Horizonte é desenvolvido no Aglomerado da Serra, em uma parceria entre Unesco, Rede Globo, PUC Minas, por meio da Pró-reitoria de Extensão (Proex) e Prefeitura de Belo Horizonte. Com mais de 1,8 mil metros quadrados projetados especialmente para abrigar espaços de esporte, lazer, educação e cultura, o Espaço, cuja equipe é composta por professores e funcionários da PUC Minas, realiza cerca de 10,4 mil atendimentos mensais. Participam do ECE-BH alunos de variados cursos da Universidade, como Serviço Social, Jornalismo, Psicologia, Educação Física, Ciências Sociais e Relações Internacionais.

Para atender crianças e adolescentes, numa perspectiva inclusiva, o projeto de extensão Enriquecimento da Aprendizagem para Desenvolvimento de Habilidades (foto) recebe um público com idade entre cinco e 17 anos, identificados com altas habilidades/superdotação. Por lei, essas crianças e adolescentes têm a garantia de educação especial nas escolas regulares de ensino público e privado. No entanto, nem sempre é isso o que acontece. Dessa forma, o projeto oferece oficinas de conhecimento que possibilitam o enriquecimento curricular dos participantes, na PUC Minas, além da ampliação das ações através da verticalização do conhecimento em forma de tutorias, dando ênfase, preferencialmente, aos alunos matriculados em escolas públicas municipais e estaduais. Atualmente, o projeto atende 40 crianças e adolescentes no contraturno da escola e conta com a atuação de 11 extensionistas dos cursos de Ciências Biológicas, Engenharia de Energia, Engenharia Química, Fisioterapia, Geografia e Psicologia.

 

Núcleo de Investigação e Extensão da Criança, do Adolescente e do Jovem (ICA)

  1. Linhas temáticas:

  2. 1. Políticas Públicas para a infância e adolescência

  3. 2. Políticas Públicas de Juventude

  4. 3. Desafios da escola contemporânea

  5. Institutos e Faculdades de Interlocução: Instituto de Ciências Humanas e Licenciaturas

  6. Contato: ica@pucminas.br

Meio ambiente e saúde

foto-41

O Núcleo de Meio Ambiente e Saúde, instituído em 2011 a partir da junção do Núcleo Meio Ambiente e Urbanismo e do Núcleo de Promoção à Saúde, procura contribuir para a formação acadêmica e profissional dos estudantes de ensino superior e para a sociedade, buscando o desenvolvimento sustentável; o respeito às diferenças, ao patrimônio e às práticas culturais; a formação política e cidadã; assim como novas leituras diagnósticas e novos campos de enunciação e ética que proporcionem práticas condizentes com as atuais necessidades e demandas da população, no que diz respeito à temática do núcleo.

Na linha de sustentabilidade, o projeto de extensão Trabalhos Ecológicos de Integração Social (Teias) ministra oficinas de diversas temáticas para públicos distintos relacionados à sustentabilidade (foto), tendo como fundamento a construção de uma cultura cooperativa e geração de autonomia. O Teias, que teve início em 2009, é desenvolvido por professores e alunos dos cursos de graduação em Ciências Biológicas, Engenharia de Energia e Nutrição e está baseado em quatro pilares: autonomia, cooperação, inovação e diversidade. As oficinas oferecidas pelo Teias, para crianças, adolescentes e idosos, são cestaria de jornal, pufe de garrafas PET e de pneu, vela repelente, vaso de caixas de leite, horta vertical, caderno de receitas com reaproveitamento de alimentos, rotulagem dos alimentos, secador solar de frutas, aquecedor solar de água e reaproveitamento de pneus.

A PUC Minas também mantém projetos de extensão, desde 2004, voltados para pessoas com idade a partir de 55 anos, como é o caso do PUC Mais Idade, do Campus Coração Eucarístico, que tem como objetivo central a promoção dos idosos, inclusive com capacitação e inclusão digital. O PUC Mais Idade foi ampliado em 2012 e, atualmente, tem atividades em Belo Horizonte (PUC Minas Coração Eucarístico, Barreiro e São Gabriel), Betim, Contagem e Arcos, atendendo em média 350 idosos. Mesmo integrando o mesmo programa, a autonomia dos projetos é essencial para que as características específicas de cada comunidade sejam respeitadas. Uma das ações em comum entre as unidades é a oficina interdisciplinar que, no Campus Coração Eucarístico, recebe o nome Oficinas de Vida. As oficinas ministradas são definidas a partir do interesse dos idosos participantes em avaliações no início e no final de cada semestre. Temas como direito dos idosos, estudo sobre o Estatuto do Idoso, história da cidade de Belo Horizonte, aulas de cidadania, aulas de canto, temas relacionados à saúde como implantes dentários, nutrição, oficinas de educação física, fisioterapia, alongamento, cuidados com a voz, cuidados com a pele e a higiene pessoal, oficinas de artesanato, reciclagem, exercícios de memória são alguns dos temas trabalhados.

 

Núcleo de Meio Ambiente e Saúde (Numas)

  1. Linhas temáticas:

  2. 1. Saúde Humana

  3. 2. Saúde Animal

  4. 3. Saúde, Esporte e Lazer

  5. 4. Meio Ambiente, Recursos Naturais e Sustentabilidade

  6. 5. Educação Ambiental

  7. 6. Conservação e uso da biodiversidade

  8. 7. Qualidade Ambiental

  9. Institutos e Faculdades de Interlocução: Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde e Faculdade de Psicologia

  10. Contato: proexnumas@pucminas.br

Políticas sociais e urbanas

foto-52

Com o objetivo de se consolidar como espaço de referência para o planejamento, a implementação, o monitoramento e a avaliação de ações de extensão sobre o tema das políticas sociais e urbanas no âmbito da PUC Minas, o Núcleo de Políticas Sociais e Urbanas tem relação próxima com o Instituto de Ciências Sociais e a Faculdade de Comunicação e Artes.

O Parlamento Jovem de Minas (PJ Minas) tem como objetivo a formação política de jovens do ensino médio de escolas públicas e particulares de Minas Gerais (foto). Criado em 2004, o projeto era restrito a Belo Horizonte. Em 2010, o projeto foi estendido aos demais municípios mineiros, mas com a restrição de 20 participantes a cada edição. E, a partir de 2014, passou a ser composto por três etapas: municipal, regional e estadual, o que possibilitou o aumento do número de câmaras participantes. Atualmente, participam do PJ Minas 65 municípios mineiros. O projeto é desenvolvido e coordenado pela PUC Minas, por meio do Instituto de Ciências Sociais (ICS), com apoio da Pró-reitoria de Extensão, e pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, por meio da Escola do Legislativo. Além da parceria na escala estadual, a PUC Minas também é parceira para a realização das etapas municipais de Belo Horizonte, Contagem e Betim, e na realização regional, que ocorrerá também em Belo Horizonte. A cada ano, um tema é trabalhado por meio de diversas atividades e eventos. Neste ano, o tema é Educação Política nas Escolas.

Outro projeto vinculado ao Nupsu é o Articulando Redes, Fortalecendo Comunidades, realizado, desde 2012, com o objetivo de contribuir para o fortalecimento e autonomia de redes sociais nas comunidades da Vila Cemig, São Gabriel e Lajedo, em Belo Horizonte. A equipe do projeto, formada por alunos e professores dos cursos de Psicologia e Comunicação Social, realiza ações de diagnóstico e de capacitações das lideranças comunitárias dessas comunidades. No bairro São Gabriel, foram mapeadas mais de 700 famílias e na Vila Cemig, 685. Esses diagnósticos norteiam as propostas do plano de ação que são desenvolvidos junto com as lideranças comunitárias e equipamentos sociais. O projeto acredita que, através da articulação dos atores e agentes sociais, entidades e organizações da sociedade civil e dos serviços e equipamentos sociais do poder público, é possível uma maior potencialização do atendimento às famílias da comunidade em situação de vulnerabilidade sociais, assim como uma maior garantia no acesso dessas famílias aos direitos sociais.

 

Núcleo de Políticas Sociais e Urbanas (NUPSU)

  1. Linhas temáticas:

  2. 1. Direito à Cidade

  3. 2. Desenvolvimento Rural

  4. 3. Assistência Social

  5. 4. Comunicação, artes e cultura

  6. Institutos e Faculdades de Interlocução: Instituto de Ciências Sociais e Faculdade de Comunicação e Artes

  7. Contato: nupsu@pucminas.br

Tecnologia e inovação

foto-63

O Núcleo de Tecnologia e Inovação (Nutei), criado em 2010, tem como foco promover a indissociabilidade e a inter e a transdisciplinaridade das atividades de ensino, pesquisa e extensão da PUC Minas no âmbito do Instituto de Ciências Exatas e Informática e do Instituto Politécnico. O objetivo é continuar desempenhando um papel de agente transformador das realidades social, intelectual e cultural.

Há 12 anos, adolescentes e jovens carentes da região do Beira Linha, em Belo Horizonte, podem participar das oficinas oferecidas pelo projeto de extensão Sustentabilidade na Informática: reciclagem e manutenção de computadores, para as comunidades da região do Beira Linha. O objetivo é capacitar os jovens para o mundo do trabalho, por meio de cursos na área de informática, conscientizando-os da importância da educação ambiental sustentável no que se refere ao lixo eletrônico. A formação é complementada com a realização de oficinas psicossociais de projeto de vida e orientação para os beneficiários. São oferecidos cursos de Informática Básica e Internet, Reciclagem e Manutenção de Computadores, Inglês Básico, Android, Criação de Sites, Inglês Básico e Intermediário, além de palestras sobre educação ambiental.

Nesta mesma linha, é realizado, na PUC Minas Betim, o projeto de extensão Inclusão.Betim.br – Da Inclusão Digital ao Descarte de Lixo Eletrônico, que tem como objetivo contribuir para a inclusão social, através de iniciativas de inclusão digital, da população da cidade de Betim, com destaque para jovens e adolescentes, visando o desenvolvimento de competências que se utilizam da Informática, além de idosos que não tiveram a oportunidade de acesso a esta tecnologia. O projeto desenvolve atividades de informática em dois módulos – introdutório e avançado –, palestras sobre as consequências jurídicas e sociais do uso inadequado da informática e sobre o descarte adequado do lixo eletrônico, além de palestras sobre o auxílio das ferramentas da Informática ao cidadão no acesso aos seus direitos.

 

Núcleo de Tecnologia e Inovação (Nutei)

  1. Linhas temáticas:

  2. 1. Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia

  3. 2. Tecnologia Social

  4. 3. Computação Social e Cidadania

  5. Institutos e Faculdades de Interlocução: Instituto de Ciências Exatas e Informática e Instituto Politécnico

  6. Contato: nutei@pucminas.br

Trabalho e produção

foto-72

O Núcleo do Trabalho e Produção (Nutra) concentra sua atuação extensionista junto aos setores produtivos: empresas, associações, cooperativas e demais organizações. Oferece capacitação e qualificação para trabalho, desenvolve diagnósticos e propõe ações e atividades para o desenvolvimento organizacional, assessora organizações com foco na gestão e na responsabilidade socioambiental, incentiva a atuação integrada entre organizações e sociedade e apoia iniciativas de inclusão social, trabalho e geração de renda.

Em 2014, foi criada a Incubadora de Desenvolvimento Econômico com Inovação Ambiental e Social – Ideias PUC Minas – com o objetivo de desenvolver metodologia de incubação de empreendimentos com os princípios da sustentabilidade econômica, social e ambiental, tanto para a economia formal quanto para economia informal, como cooperativas e associações produtivas de Economia Solidária. Em 2016, a Ideias lançou seu primeiro edital para selecionar e apoiar propostas de Projetos de Negócio que tivessem como escopo o desenvolvimento de produtos, processos ou serviços inovadores. A incubação é recomendada àqueles que buscam a criação, amadurecimento e aceleração da entrada de empresas independentes no mercado. Ao todo, foram submetidas ao edital da Ideias 41 propostas. Destas, seis foram selecionadas. São elas: Anjo (Wagner Marques Santana Coelho, do Curso de Sistema de Informação); Aquecedor Solar Termo Voltaico (Victor Hernane Dias de Brito e Rodrigo Moraes Belem, do Curso de Pós-graduação em Gestão de Resíduos Sólidos); e Coopervítreo (Irene Ambrósio da Silva, Aline Catarina Rocha Marques, Leticia Maciel Vieira, Thainara Fernanda da Silva Santos, Izabela Carolina Santos Silva, do Curso de Administração); Expansão de Métodos de Comercialização de Energia Solar (Igor Viana de Pinho Tavares, Helvio Barcelos Junior e Pedro Araújo de Carvalho, do Curso de Engenharia Elétrica); Health Help (Lauro Milagres Oliveira, Luan Andrade Soares e Lucas Braga, do Curso de Ciência da Computação); e Odonto Click-Minha 1ª Dental (Felipe Aurélio Soares Silva, do Curso de Odontologia).

Outra forte vertente de atuação do Nutra é a economia solidária. Desde 2010, a PUC Minas realiza a Feira de Economia Solidária, em parceria com o Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política da Arquidiocese de Belo Horizonte e com o Fórum Mineiro de Economia Solidária. Esse evento surgiu a partir da Campanha da Fraternidade daquele ano, que tinha como tema Economia e Vida. A partir de então, a Pró-reitoria de Extensão percebeu uma lacuna em torno dessa temática e, desde então, além de realizar a Feira, oferece também diversas atividades de formação, capacitação e diálogo entre a Universidade e os atores da economia solidária. Além de projetos e atividades, o Nutra realiza também o Seminário sobre Economia Solidária, a fim de promover a produção, a reflexão e a socialização do conhecimento relacionado ao movimento de Economia Popular solidária, sendo um catalizador para o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos solidários e para o aprimoramento das políticas públicas governamentais.

 

Núcleo de Trabalho e Produção (NUTRA)

  1. Linhas temáticas:

  2. 1. Capacitação e qualificação profissional

  3. 2. Contabilidade para a cidadania

  4. 3. Economia Solidária

  5. 4. Geração de trabalho e renda

  6. 5. Planejamento, formação e gestão

  7. 6. Responsabilidade socioambiental empresarial – SER

  8. 7. Sustentabilidade e ecorresponsabilidade organizacional

  9. 8. Empreendedorismo com inovação socioeconômica e ambiental

  10. Institutos e Faculdades de Interlocução: Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais

  11. Contato: proextrabalho@pucminas.br

Fotos
1Marcos Figueiredo
2Marta Carneiro
3Raphael Calixto
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais