revista puc minas

Docência Foco na formação de professores

Várias ações fortalecem as licenciaturas da Universidade

“Queria estudar aqui porque é uma Universidade que não está restrita à sala de aula e tem diversas atividades de pesquisa e de extensão”

Sabrina Gonçalves, aluna do 5º período da licenciatura em Geografia

Apenas 2,4% dos alunos de 15 anos querem seguir a carreira docente, segundo o relatório de Políticas Eficientes para Professores, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgado no primeiro semestre de 2018. Os baixos salários e a falta de investimento e de reconhecimento da profissão são os principais motivos. Buscando reverter esse quadro e reafirmando seu compromisso com a educação, há sete anos a Universidade vem realizando ações de reformulação dos seus cursos de licenciatura. A PUC Minas conta com dez cursos nessa modalidade: Ciências Biológicas, Educação Física, Ciências Sociais, Filosofia, Física, Matemática, Geografia, História, Letras e Pedagogia, muito bem avaliados por indicadores do Ministério da Educação (MEC), como o último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) – Ciclo Avaliativo 2017.

Uma dessas ações é a oferta, desde 2014, de 25 a 30 bolsas integrais, por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni), do MEC, para cada um dos cursos de licenciatura. Atualmente, 848 alunos desses cursos usufruem do benefício. “Se um curso de licenciatura não é muito atrativo porque a profissão de professor não é atrativa para boa parte dos jovens, fazer um curso em uma instituição como a PUC Minas, gratuitamente, atraiu muitos jovens. É uma aposta na melhoria da educação e uma presença da Universidade na vida de jovens que não teriam condição, em muitos casos, de fazer um curso superior de qualidade”, destaca a diretora do Instituto de Ciências Humanas (ICH), professora Carla Ferretti Santiago.

Para a aluna Sabrina Elis Cândido Gonçalves, do 5º período da licenciatura em Geografia, a bolsa integral foi decisiva na escolha da PUC Minas. “Queria estudar aqui porque é uma universidade que não está restrita à sala de aula e tem diversas atividades de pesquisa e de extensão. Quando me inscrevi, não estava trabalhando e meus pais não tinham condições de arcar com o custo de um curso superior. Hoje, com essa bolsa, me sinto ainda mais entusiasmada em fazer a diferença na educação porque, infelizmente, poucos têm essa oportunidade que estou tendo”, diz a aluna, que hoje é monitora de projeto de extensão do ICH.

Outra ação de reformulação na área das licenciaturas é a integração dos currículos. “Antecipamos uma série de tendências, entre elas a formação interdisciplinar entre nossos alunos, de forma arejada, com inclusão no currículo de disciplinas que discutem temas extremamente importantes hoje no ambiente escolar”, garante a diretora. Como parte dessa integração, os alunos dos cursos de licenciatura possuem diversas disciplinas em comum. “É essa a realidade que eles irão encontrar nas escolas, pois nelas terão que trabalhar não apenas com os professores da mesma área de formação, mas de todas as outras. E a tendência é essa, não olhar para os cursos separadamente, apesar do cuidado com a especificidade de cada um, mas olhar os cursos de licenciatura da Universidade como um todo”, diz.

Sabrina acredita que essa integração prepara melhor o professor para o mercado de trabalho. “Reunimos, discutimos e colocamos em prática as várias questões que envolvem a licenciatura. Apesar de sermos de áreas distintas, temos algo em comum e isso já nos deixa cientes que é essa integração que teremos nas escolas”, afirma.

Para reforçar esse investimento nas licenciaturas, a Universidade está inscrita em programas do MEC, como o Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), o Residência Pedagógica, e da Prefeitura de Belo Horizonte, como o Escola Integrada e o Mais Alfabetização. Tais programas, dadas as suas especificidades, são iniciativas de qualificação e vivência dos alunos do ensino superior na docência em escolas públicas e privadas da educação básica. Por meio desses projetos, os estudantes dos cursos de licenciatura da Universidade têm cerca de 500 bolsas remuneradas, o que, segundo a diretora do ICH, além do ganho acadêmico, viabiliza a permanência de muitos deles no ensino superior, dado o perfil socioeconômico, pois muitos não precisarão ingressar no mercado de trabalho para ter uma renda e podem se dedicar melhor à sua formação. Segunda a professora Carla Ferretti, em alguns cursos de licenciatura cerca de 90% dos alunos têm essas bolsas.

O investimento na formação de professores na Universidade vai além da graduação e está também presente na pós-graduação lato sensu do Instituto de Educação Continuada (IEC PUC Minas), em cursos de especialização e MBA na área de Educação e em especializações com foco na formação e aprimoramento de professores, e no Programa de Pós-graduação stricto sensu em Educação, no mestrado e no doutorado.

Texto
Tereza Xavier
Foto
Raphael Calixto
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais