revista puc minas

Publicações Leitura diversificada

Democracia, adolescência e identificação de gênero são algumas das temáticas tratadas nos lançamentos da Editora PUC Minas em 2017. Merece destaque o romance Úrsula, acompanhado da reedição do conto A escrava, da escritora maranhense Maria Firmina dos Reis, considerado um dos melhores lançamentos do mercado editorial brasileiro de 2017, segundo críticos e repórteres de cultura do jornal O Estado de S. Paulo. Os livros podem ser adquiridos na Livraria da Editora PUC Minas, em parceria com a Livraria Aguiar, no Espaço Cultura e Fé, no Campus Coração Eucarístico, e pelo site editora.pucminas.br

A seguir, algumas das recentes publicações da Editora PUC Minas:

  1. Nome sui generis – o nome (social) como dispositivo de identificação de gênero

    Cláudio Eduardo R. Alves

    O livro discute o nome social de travestis e transexuais enquanto dispositivo de identificação de gênero. Foi adaptado da tese de doutorado em Psicologia de Cláudio Eduardo Resende Alves e registra de modo amplo o processo de construção do nome, investigando documentos, ouvindo membros da comunidade escolar e dialogando com estudantes travestis e transexuais no contexto de Belo Horizonte.
    O autor busca, na obra, evidenciar modos de ser e estar no mundo que desafiam normas, rompem conceitos e colocam em xeque certezas.

  2. Democracia em crise: o Brasil contemporâneo

    Robson Sávio Reis Souza, Adriana Maria Brandão Penzim, Claudemir Francisco Alves

    Organizada pelos professores da PUC Minas Robson Sávio Reis Souza, Adriana Maria Brandão Penzim e Claudemir Francisco Alves, reúne textos de diversos autores, entre eles os cientistas políticos Otávio Soares Dulci, Rudá Ricci e Léa Souki e o jornalista João Paulo Cunha. A publicação faz parte da série Cadernos Temáticos do Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC Minas e da Arquidiocese de Belo Horizonte (Nesp), com o objetivo de divulgar produções textuais que possam ampliar o debate e a reflexão sobre temas relevantes, sobretudo acerca da realidade brasileira.

  3. Uma breve história da adolescência

    David Le Breton

    Uma abordagem inesperada da adolescência numa perspectiva histórica. Uma análise precisa de suas mutações contemporâneas, consideradas no turbilhão das precariedades sociais e familiares, este livro oferece uma ampla e riquíssima leitura das relações entre a cultura e a adolescência, que permitem reflexões sobre as questões que envolvem os adolescentes na época atual. Le Breton nos convida a pôr o pé na estrada e a compreender a adolescência como esse túnel, no qual se entra obrigado pela puberdade e do qual não há como sair do mesmo jeito pelo outro lado.

  4.  Memórias vivas de 1968: a prisão dos padres franceses e do diácono brasileiro em Belo Horizonte

    Michel Le Ven e Rosely Carlos Augusto

    A obra é um importante registro da trajetória de religiosos que, em tempos de regime totalitário no Brasil, lutaram pelas causas populares. Trata-se de um testemunho de religiosos, entre eles o padre francês Michel Marie Le Ven, que tiveram importante atuação em Belo Horizonte na defesa de camadas mais pobres da sociedade, engajando-se nas causas de emancipação social, política e econômica.

  5. Úrsula

    Maria Firmina dos Reis

    Esta é a sexta edição do romance Úrsula, acompanhada da reedição do conto A escrava, da escritora maranhense Maria Firmina dos Reis, no momento em que se completam cem anos de seu falecimento. Além de ser o primeiro romance abolicionista da literatura brasileira, Úrsula é também o primeiro da literatura afro-brasileira, entendida como produção de autoria afrodescendente que tematiza a negritude a partir de uma perspectiva interna.

Compartilhe
Fale Conosco
+Mais