revista puc minas

Dupla diplomação é alternativa para carreira internacional

foto-1-dupla-diplomacao-e-alternativa-para-carreira-internacional1

Foi assinado o convênio entre PUC Minas e a Instituição francesa ESIEE Paris, para o programa de dupla diplomação no âmbito do Curso de Engenharia de Computação (Coração Eucarístico e São Gabriel). O programa permitirá aos alunos daquela graduação da Universidade e da ESIEE Paris, participantes do programa de dupla diplomação, a obtenção do diploma da PUC Minas e também da instituição francesa, válido na União Europeia.

A implantação está prevista para agosto de 2020. Até quatro alunos por instituição poderão ficar em intercâmbio na Instituição parceira durante um período de três a quatro semestres. Será necessário cumprir requisitos acadêmicos definidos pelas instituições, para a participação do processo seletivo, e também a obtenção dos diplomas das duas instituições.

Também os estudantes do Curso de Engenharia Mecânica têm a oportunidade de ter a dupla diplomação, com a chance de ter uma habilitação em outro país. A PUC Minas possui parceria com duas universidades: a alemã Schmalkalden University e com o Politécnico de Torino, da Itália. Caio Almeida Friche Passos esteve na Alemanha em 2018 participando do programa e acredita que a experiência abrirá portas no Brasil e no exterior. “A Schmalkalden University é a sexta melhor universidade na área de Engenharia Mecânica do mundo. Acredito que ter os diplomas brasileiro e alemão abrirá boas oportunidades profissionais”, afirma Caio.

Devido aos convênios firmados pelo curso, são ofertadas de sete a nove disciplinas na grade curricular em língua inglesa por semestre.

Entre as melhores do mundo

A PUC Minas entrou para o ranking das melhores universidades do mundo: o Times Higher Education. A Universidade é agora a única instituição privada de Minas Gerais a fazer parte do ranking, que conta com outras cinco universidades mineiras. Ao todo, são 46 universidades brasileiras listadas, sendo o Brasil o sétimo país mais representado.

Para a classificação, são utilizados como indicadores de desempenho das universidades o ensino, a pesquisa, as citações de publicações científicas, a visão internacional e a transferência de conhecimento. Na edição deste ano, foram avaliadas 1.396 universidades de 92 países.

Núcleo de Inteligência Social

Contribuir com o desenvolvimento de tecnologias de inteligência social dirigidas ao Terceiro Setor é o objetivo do NIS, o Núcleo de Inteligência Social da PUC Minas, que será lançado em dezembro. “Queremos ser referência em inteligência social, oferecendo dados qualificados a entidades do Terceiro Setor”, afirma o professor Paulo Fernando Braga Carvalho, membro do NIS e professor do Programa de Pós-graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial. O NIS surge em parceria com a Child Fund Brasil, organização que trabalha pelo desenvolvimento de crianças em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade social.

O primeiro projeto desenvolvido pela parceria, com duração de seis meses, é a criação de indicadores de vulnerabilidade de crianças de 0 a 11 anos em quatro estados do Nordeste: Maranhão, Piauí, Alagoas e Paraíba. Este levantamento subsidiará a definição de municípios que poderão ser atendidos e acompanhados pela Child Fund nestes estados brasileiros. Os resultados do estudo serão disponibilizados gratuitamente na página do NIS na internet, a fim de que outras entidades possam utilizá-los. Na PUC Minas, o levantamento dos dados envolve professores dos programas de pós-graduação em Geografia – Tratamento da Informação Social e Ciências Sociais, além de alunos bolsistas de graduação, mestrado e doutorado. Outros projetos serão desenvolvidos a partir da parceria entre a PUC Minas e a Child Fund e também com outros parceiros, com a participação de outras áreas que compõem o NIS: Psicologia, Ciências Exatas e Informática e Comunicação.

Selo de Acreditação

1

Os cursos de Medicina do Campus Betim e de Medicina Veterinária ofertado nos campi Betim e Poços de Caldas receberam selos de acreditação deferidos pelos conselhos federais das respectivas categorias. O selo recebido pelo Curso de Medicina do Campus Betim atesta a qualidade do ensino médico no Brasil, sob avaliação nas áreas de gestão educacional, programa educacional, corpo docente, corpo discente e ambiente educacional. O selo é válido até o mês de setembro de 2025 e é conferido pelo Saeme (Sistema de Acreditação de Escolas Médicas), um instrumento de avaliação do ensino médico, feito pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Educação Médica.

Já os cursos de Medicina Veterinária dos campi Betim e Poços de Caldas receberam o Selo de Acreditação do Conselho Federal da área (CFMV), que afere a qualidade dos cursos e torna transparente a excelência do ensino superior para a sociedade e para as próprias instituições. Até o momento, a PUC Minas é única instituição privada do país a deter o selo.

Incubadora Multissensorial

2

Um projeto de Incubadora Multissensorial para práticas médicas, que está sendo desenvolvido por alunas dos cursos de Ciência da Computação e Medicina do Campus Poços de Caldas, venceu o Prêmio Nacional de Iniciação Científica do XIX Simpósio Brasileiro de Computação Aplicada à Saúde. O trabalho, que concorria com outros seis finalistas de todo o país, ficou com o 1° lugar.

A ideia do projeto surgiu quando as alunas perceberam que, embora a incubadora neonatal seja considerada um equipamento que revolucionou a medicina ao longo de várias gerações, ainda há recursos que podem ser aperfeiçoados ou incorporados. No caso de uso em ambientes hospitalares, o objetivo é chegar à construção de um equipamento de baixo custo, porém eficiente e confiável, que possa ser aplicado para reduzir o déficit de incubadoras para recém-nascidos existentes no Brasil. A finalização do projeto está prevista para 2022.

Ciências da Religião a distância

A PUC Minas lançará, no primeiro semestre de 2020, a licenciatura em Ciências da Religião a distância. O curso visa à formação e à capacitação de educadores através de uma compreensão ampla, sistemática e crítica do Ensino Religioso, na perspectiva da educação para uma cultura de paz e para o diálogo inter-religioso.

De acordo com o professor Paulo Agostinho, da equipe de formulação da licenciatura, faltam no país cursos para formar os docentes de Ensino Religioso, sendo apenas três cursos reconhecidos pelo MEC. “É um problema histórico a questão da formação de professores de Ensino Religioso. Como a PUC Minas sempre teve em sua missão a preocupação com a formação docente, criou a licenciatura em Ciências da Religião EAD para alcançar estudantes de todo o país, em lugares longínquos que não têm universidades e nem acesso ao ensino de qualidade. É uma grande contribuição social formar professores para a educação básica”, declara.

O curso tem duração de oito semestres, ou quatro anos, com o total de 3.200 horas acadêmicas.

Prêmio Capes de Tese

O Modelo Cognitivo-comportamental de Compra de Falsificados e a Tipologia dos Consumidores Belo-horizontinos é título de tese de doutorado que recebeu menção honrosa no Prêmio Capes de Tese, edição 2019, na área de avaliação Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo. A tese foi defendida por Matheus Lemos de Andrade, sob orientação do professor do Programa de Pós-graduação stricto sensu em Administração Ramon Silva Leite. Matheus Andrade também é professor da PUC Minas, no Instituto de Educação Continuada (IEC).

A tese analisou o comportamento de consumidores de produtos falsificados e gerou um modelo teórico para explicar esse comportamento e o que influencia a compra ou não desse tipo de produto e traçou também quatro perfis de consumidores: os que compram sempre sem nenhum tipo de restrição; os que compram com alguma frequência, mas que selecionam produtos específicos de acordo com o custo-benefício; os que compram com menos frequência, com base no preço e na oportunidade; e os que não compram de forma alguma.

Novas espécies de peixe elétrico

Pesquisador no pós-doutorado do Programa de Pós-graduação em Biologia de Vertebrados, Tulio Franco Teixeira é um dos integrantes de grupo que descobriu duas espécies novas de poraquês, como são popularmente conhecidos os peixes elétricos na Amazônia. O estudo foi publicado na Nature Communications, conceituada revista científica. Além das duas novas espécies, o grupo propõe hipóteses de relação de parentesco, evolução, tempo de diversificação e distribuição dessas espécies.

As duas novas espécies, Electrophorus varii e Eletrophorus voltai, foram descritas em homenagem póstuma respectivamente ao ictiólogo americano Richard P. Vari, por suas contribuições à ictiologia, e a Alessandro G. A. A. Volta, que inventou a primeira bateria elétrica inspirando-se na fisiologia desses peixes elétricos. “Este trabalho amplia o nosso conhecimento sobre a diversidade de um gênero de peixes bastante conhecido, que por 250 anos acreditava-se possuir apenas uma espécie, e exemplifica como ainda desconhecemos a nossa biodiversidade”, diz Túlio.

Liderado pelo brasileiro Carlos David de Santana, o trabalho é fruto da parceria entre pesquisadores de diversas instituições nacionais e internacionais, incluindo a PUC Minas.

Fotos
1Raphael Calixto
2Felipe Pádua
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais