revista puc minas

Serra da Piedade Patrimônio valorizado

IMG_2539

Pesquisas são feitas na região para preservar e valorizar o Santuário Nossa Senhora da Piedade

O conjunto de iniciativas de valorização e preservação do Santuário Nossa Senhora da Piedade, localizado no alto da Serra da Piedade, em Caeté, na Região mMetropolitana de Belo Horizonte, inclui, além das revitalizações estruturais, fortes investimentos em pesquisas. Recentemente, professores da PUC Minas realizaram estudo e pesquisa para identificar as características e potencialidades dessa região, considerada um dos maiores patrimônios naturais e culturais de Minas. Em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), o trabalho foi desenvolvido no Santuário Nossa Senhora da Piedade e sua área de abrangência: a Serra da Piedade e as comunidades no seu entorno. O diagnóstico faz parte de um plano de gestão da Arquidiocese de Belo Horizonte para o desenvolvimento sustentável da região, na perspectiva ambiental, cultural, econômica, social e religiosa. Além disso, o trabalho pretende formar uma rede social empreendedora, formada pela sociedade civil, líderes comunitários, proprietários de terra, governos locais e estaduais e empresas.

O objetivo do projeto foi identificar as diferentes áreas existentes e apontar as melhores atividades que podem ser implementadas, de acordo com as potencialidades e limitações da localidade, segundo o coordenador técnico estadual da Emater, Maurício Fernandes. A metodologia utilizada analisou o meio físico, biótico (fauna e flora) e antrópico (ação humana), por meio de avaliação de imagens via satélite e análise de campo.

O diagnóstico apontou principalmente aptidões para a produção agrícola como a bananicultura, olericultura (hortaliças), fruticultura e para o cultivo de culturas permanentes como pastagens e silvicultura (cultivo de árvores). Para aquelas regiões em que não há possibilidade de atividade agrícola, assinalou a potencialidade de ações relacionadas à proteção ambiental, ao ecoturismo e ao turismo religioso, em face da importância do Santuário Nossa Senhora da Piedade, padroeira do Estado de Minas Gerais. “Só no ano passado, o Santuário recebeu mais de 300 mil visitantes. Para este ano, a estimativa é que chegue a mais de 500 mil”, informa o professor Eugenio Batista Leite, pró-reitor do campus Betim e integrante do conselho desse plano de gestão.

Segundo o pró-reitor, o estudo apontou também para alguns problemas na região, como áreas mineradas que estão se degradando em torno da serra. “A tendência é que a curto e médio prazos haja um conselho diretor para fazer a gestão econômica, social e ambiental do entorno. A próxima etapa é a criação de um espaço no Santuário Nossa Senhora da Piedade para que professores da Universidade, parceiros e todos os envolvidos possam articular fomentos para os diferentes projetos que possam sair do diagnóstico”, afirma o professor, relatando que diversos professores, de variados departamentos, estão envolvidos na elaboração de propostas de intervenções a serem implantadas.

Texto
Tereza Xavier
Foto
Marcos Figueiredo
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais