revista puc minas

Tecnologia Pela preservação do sertão

O coordenador do Curso de Jogos Digitais, Eduardo Fantini (ao centro), e alunos do curso testam o jogo criado no projeto Aprendendo e Compreendendo o Mosaico Sertão Veredas: Peruaçu

Jogo lúdico e educativo mostra a importância da conservação desse território

“O sertão é do tamanho do mundo”, já refletia o ex-jagunço Riobaldo em uma das mais importantes obras literárias brasileiras, Grande Sertão: Veredas. Principal cenário e objeto de reflexão da obra do reverenciado escritor João Guimarães Rosa, as belas paisagens do sertão continuam sendo alvo de atenção, mas por motivos diferentes. No Mosaico Sertão Veredas – Peruaçu, por exemplo, queimadas de vegetação nativa, exploração para produção de carvão, expansão da fronteira agropecuária, entre outras atividades criminosas, estão causando uma destruição sem precedentes da fauna e flora local.

Com o intuito de conscientizar alunos do ensino médio que vivem na região do Peruaçu, o Curso de Tecnologia em Jogos Digitais, em parceria com o Curso de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), reuniu alunos das unidades Praça da Liberdade e São Gabriel a fim de criar jogos que pudessem trabalhar com a temática e auxiliar os jovens a se informarem mais sobre a importância da preservação da região. “O intuito do Mosaico não é apenas a preservação da fauna e flora, mas também de outros elementos, como a cultura local, as pessoas, entre outros aspectos. Assim, nosso maior desafio era conseguir criar um jogo de tabuleiro em que os alunos pudessem, logo de cara, identificar que aquela atividade representava o sertão e tudo que existe ao redor deles”, revela o coordenador do Curso de Jogos Digitais da Praça da Liberdade, professor Eduardo Penha Castro Fantini.

O projeto de extensão Aprendendo e Compreendendo o Mosaico Sertão Veredas: Peruaçu, premiado no SBGames 2017, o maior Simpósio Acadêmico na área de Jogos e Entretenimento Digital da América Latina, visa apresentar jogos que abordem conteúdos voltados para os territórios do Mosaico, seus atores, riquezas, conflitos e os impactos da ação humana no bioma Cerrado. “Nossa ideia era, primeiramente, buscar nos aproximarmos mais da realidade local e, para isso, demos voz às crianças nativas para conhecermos parte do que enfrentam em termos sociais, ambientais e até políticos. Em segundo lugar, queríamos conseguir desenvolver um jogo que incitasse habilidades, concentração e engajamento para se envolverem mais e melhor com o projeto político de futuro para a região”, enumera a professora Doralice Barros Pereira, da UFMG.

Para Sulêde Porto de Oliveira Macedo, diretora da Escola Estadual de Fabião, Povoado de Fabião, que faz parte do Mosaico do Sertão Veredas – Peruaçu, que recebeu o projeto-piloto, a atividade gerou grande expectativa entre os alunos e os professores. “O jogo foi construído com a nossa participação, pois tivemos a oportunidade de falar dos nossos anseios, dificuldades e do nosso cotidiano. Ele foi elaborado levando em consideração a nossa realidade e acho que este foi o ponto fundamental”, esclarece.

Premiação no SBGames

Para a grande surpresa e satisfação dos professores e alunos, após a finalização do projeto os autores inscreveram o jogo na categoria Boardgame Art da Mostra de Artes do evento SBGames 2017 e sagraram-se vencedores. “O prêmio foi o retorno de todo o nosso trabalho, empenho e estudo dedicado ao projeto”, considera Paloma Fantini. A categoria avalia questões como a arte da caixa, encarte, personagens, tabuleiro e demais itens que compõem o jogo.

Texto
Luiza Rocha
Foto
Acervo Pessoal
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais