revista puc minas

Carreira Planejando o futuro

foto-1-48
Joyce Viana participou do projeto Formei. E agora? no penúltimo período da graduação e optou pela estabilidade

Com o projeto Formei. E agora?, Universidade auxilia estudantes na fase de conclusão da graduação

A formatura é um momento cheio de emoções e dúvidas sobre o futuro. Para ajudar na busca por respostas para perguntas como “aonde quero chegar?” e “estou no caminho correto?”, a PUC Minas criou o projeto Formei. E agora?, que incentiva e auxilia, por meio de palestras sobre gestão de carreira, o encaminhamento profissional dos alunos que estão próximos da conclusão do curso.

Auxiliar o aluno no planejamento da vida profissional é o objetivo do projeto da Universidade, que, na última edição, foi ampliado, passando a atender os alunos dos últimos três semestres dos cursos. Com cinco anos recém-completados no semestre passado, o programa já contribuiu para a carreira de mais de 10 mil alunos de diversos cursos. Wanessa Luísa Pereira Costa, 26 anos, por exemplo, participou da última edição. Ela escolheu Sistemas de Informação e sabe que a graduação é só o começo de uma carreira bem planejada. “Quero abrir uma startup e, após a graduação, vou me profissionalizar mais fazendo pós-graduação, mestrado, doutorado, cursos livres e novos idiomas”, planeja.

Já Joyce Viana Silveira, que está concluindo a graduação em Direito, participou do Formei. E agora? quando ainda estava no 9º período e, focada na estabilidade que um concurso público pode oferecer, vai seguir a área do Direito Criminal. “Quando penso na minha carreira, levo em conta o que eu quero para minha vida toda. Pensar em longo prazo me faz adquirir as experiências e o amadurecimento necessários para saber lidar com situações adversas”, avalia.

Conhecer o próprio talento é muito importante em qualquer planejamento, como explica a professora Laura Ituassu, uma das palestrantes do projeto . “A carreira não é mais um caminho de crescimento linear, como uma escada. Atualmente, ela se assemelha mais a um mapa, com inúmeras possibilidades de chegar ao local pretendido”, afirma. O professor Pedro Augusto Xavier de Assis, que também colaborou com o projeto Formei. E agora?, concorda e afirma que um profissional interessado em estudar sua própria carreira leva vantagem no mercado de trabalho atual. “Quem pensa em longo prazo estabelece os objetivos para o futuro. As oportunidades aparecem todos os dias, para todos nós. Quem não sabe aonde quer chegar não identifica as oportunidades com clareza por ausência de um planejamento”, diz o professor, lembrando que o bom profissional deve planejar e se reinventar constantemente.

Priorizando habilidades

foto-2-38
Jorciney Gomes: em busca de respostas sobre seu futuro profissional

Para um bom planejamento, alguns pontos devem ser considerados, segundo o professor Pedro Augusto. “Inicialmente, deve-se fazer uma reflexão para se conhecer de fato. Quem é você e quais são seus recursos? Você tem conhecimento em qual área? É importante nessa fase levar em consideração também seus contatos pessoais e profissionais”, diz o professor.

Na mesma linha de pensamento, a professora Laura Ituassu diz que o principal caminho é eleger prioridades e habilidades. “Essa é a base sobre a qual o sucesso profissional nasce. Um profissional que se conhece consegue aproveitar melhor as oportunidades e abrir novos caminhos baseados em seus propósitos de vida”, pontua a professora. Neste contexto, ela destaca que cada obstáculo vencido torna-se um gatilho motivador de um novo desafio, e as chances de crescimento se multiplicam. “Quanto mais jovem, mais difícil é se autoconhecer, pois as experiências profissionais ainda são poucas. Por isso, é importante se debruçar sobre o tema e buscar informações sobre as novas configurações do trabalho, sobre os novos cenários profissionais, sobre as competências fundamentais para o profissional do século XXI e examinar que elementos você já desenvolveu e aqueles que ainda precisa construir”.

Imar Ribeiro de Oliveira Júnior, 30 anos, que concluiu a graduação em Direito no final de 2018, no Campus Coração Eucarístico, seguiu a cartilha do autoconhecimento. Atualmente, é advogado tributarista e empresarial, depois de experimentar no próprio mercado alguns caminhos com os quais se identificou. “Desde a graduação, trabalhei com consultoria em escritório de contabilidade e em empresas na área de Recursos Humanos, o que me levou a ter contato com pessoas e processos de legalização e tributação”, relembra. “No final do curso de graduação, sentimos insegurança de como será nosso futuro”, completa.

Em busca das respostas sobre seu futuro profissional, Jorciney Rodrigues Gomes, 31 anos, que está concluindo o Curso de Engenharia, decidiu participar de uma das palestras do Formei. E agora?. “Procurava entender mais sobre o perfil profissional que o mercado de trabalho procura e como eu deveria me comportar diante de situações como entrevistas e dinâmicas”. Antes, quando escolheu a engenharia, Jorciney também seguiu as técnicas recomendadas por quem entende de planejamento de carreira. “Levei em conta a oferta e demanda da profissão, minha aptidão pela área e o retorno financeiro que pretendo ter”, explica.

Na orientação que recebeu tanto de professores da PUC Minas quanto de profissionais do mercado, Jorciney ouviu que deveria priorizar suas habilidades. “A minha característica que mais pesou quando escolhi a engenharia foi a capacidade que possuo de ser analítico e atento a detalhes”, completa. Sem medo de mudanças, saiu de um cargo que ocupava há oito anos para procurar um estágio que tivesse mais sentido na sua área e agregasse valor à formação. “Estou ciente de que dei uns dois passos para trás, mas espero em longo prazo dar três passos para frente. Vai valer a pena”.

A importância da educação continuada

As possibilidades para quem quer se firmar em uma profissão são inúmeras e não se restringem aos empregos tradicionais, como observa a professora Laura Ituassu. “O perfil profissional também pode ser tão original quanto o perfil individual e pode associar áreas aparentemente incompatíveis, como exatas/humanas; público/privado; ciência/lazer, dentre outras. As interfaces entre as áreas são cada vez mais amplas e permitem desenhos cada vez mais ousados”, explica. Em resposta à crescente demanda dos profissionais que buscam aprimoramento e destaque em suas áreas de atuação, a PUC Minas oferece cursos de pós-graduação nas modalidades presencial e a distância. Para o professor Miguel Alonso de Gouvêa Valle, diretor do IEC PUC Minas, buscar aprimoramento profissional deve fazer parte da rotina dos profissionais que pretendem ter destaque no mercado. “A educação continuada é uma etapa fundamental para os profissionais. Nosso aprendizado é contínuo ao longo da vida”, afirma.

 

Formei. E agora?

  1. O que é
    O projeto consiste em uma série de palestras sobre futuro profissional, planejamento de carreira e educação continuada. As atividades são ministradas por professores especialistas da Universidade e profissionais do mercado.

  2. Quando acontece
    As atividades ocorrem durante os meses de setembro e outubro, em todos os campi e unidades. Em abril e maio, o projeto disponibiliza oficinas de carreira e trabalho no formato EAD. As datas são divulgadas via SGA.

  3. Quem pode participar
    O evento é aberto a todos os interessados, com foco principalmente em alunos dos dois últimos semestres.

Texto
Felipe Caixeta
Fotos
Raphael Calixto
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais