revista puc minas

Nutrição Por uma alimentação mais saudável

IMG_8000
Da esq. para a dir., os estudantes Thaís Cristine Santos, Rafaela das Dores Pereira, Flávio Ferreira Silva e Luíz Júlio Rocha de Oliveira, com o professor Wiliam César Bento Régis, orientador dos trabalhos premiados

Pesquisas baseadas em propriedades antioxidantes são premiadas no III Congresso Brasileiro de Nutrição Estética

Manter uma dieta equilibrada, contendo carboidratos, proteínas, fibras, vitaminas e sais minerais é um dos requisitos para se ter uma vida saudável. Para isso, o consumo de verduras, frutas e legumes é indispensável. Além de serem ricos em nutrientes, esses alimentos vêm chamando a atenção de diversos estudos na área da saúde por um motivo: a presença de propriedades antioxidantes, um dos temas centrais em investigação da saúde na atualidade. Muitos autores comprovaram que a neutralização da ação dos radicais livres pelos antioxidantes ajuda na prevenção de doenças e evita o desgaste do sistema imunológico.

Foram exatamente os antioxidantes a base de três estudos do Curso de Nutrição da PUC Minas Barreiro premiados com as primeiras colocações no III Congresso Brasileiro de Nutrição Estética. O evento foi realizado de 10 a 12 de abril deste ano, em Curitiba, e contou com a presença de profissionais da área da Nutrição Estética, professores, pesquisadores e estudantes de universidades de todo o País.

O estudo Associação de Propriedades Funcionais de Alimentos: uma abordagem científica para inovação no desenvolvimento de novos suplementos alimentares, realizado pelo professor do Curso de Nutrição e orientador Wiliam César Bento Régis, pela também professora do curso e coautora Alzira Batista Cecilio, pela ex-aluna Elândia Aparecida dos Santos e pelos estudantes Breno Dias Ribeiro e Flávio Ferreira Silva, em parceria com a empresa Minasfungi Brasil, foi premiado com o primeiro lugar. A pesquisa teve como principal finalidade associar o cogumelo Agaricus blazei, conhecido como Cogumelo do Sol, ao gojiberry (Lyciumbarbarum), à linhaça (Linumusitatissimum L) e à quitosana (Quitina).

O cogumelo Agaricus blazei vem recebendo grande atenção dos pesquisadores por uma de suas principais características: o potencial funcional de seus princípios ativos. Além de agir como um estimulador de células de defesa do organismo, com as associações realizadas na pesquisa, as atividades antioxidantes presentes têm o potencial de combater o envelhecimento precoce, auxiliar no equilíbrio dos níveis do colesterol e atuar na saúde cardiovascular e no controle da obesidade.

Com esses novos suplementos alimentares, resultantes da pesquisa, os praticantes de atividades físicas submetidos a intensos padrões de treino e sujeitos a ação de radicais livres obtêm diversos benefícios medicinais e nutricionais. “A partir dessa abordagem, existe a possibilidade de se criar associações de alimentos funcionais com atividades comprovadas cientificamente. A formulação de novos produtos em benefícios funcionais, sem efeitos colaterais e de forma mais simples, facilita a interação entre vertentes como a saúde e a estética”, afirma Wiliam Régis, orientador dos três trabalhos premiados dentro do grupo de pesquisa Bioquímica de compostos bioativos de alimentos funcionais do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS).

IMG_8106
O resultado preliminar do novo produto é de grande importância nutricional, segundo a co-orientadora do estudo

Cookies feitos da amêndoa da manga

A pesquisa premiada com o segundo lugar no congresso foi o estudo intitulado Abordagem Funcional do Aproveitamento Integral de Alimentos: biscoitos tipo cookies produzidos a partir da casca e da amêndoa da manga, produzida pelos professores Sabrina Ramos, Wiliam Régis e Alzira Batista, pela ex-aluna Elândia e pelas alunas Rafaela das Dores Pereira e Thaís Cristine Santos Costa Pacífico.

O surgimento da proposta se deu a partir da preocupação com o descarte de partes de alimentos que revelam ter um alto valor nutricional. De acordo com os dados do Ministério da Agricultura, são desperdiçados, em média, no Brasil, cerca de 30% dos frutos produzidos em um ano. E uma boa solução para se evitar esse desperdício é o aproveitamento integral dos alimentos, que inclui o consumo das partes não convencionais de forma nutritiva, uma vez que diversos antioxidantes estão presentes nelas.

Durante o desenvolvimento da pesquisa, que vem sendo realizada desde agosto de 2014, já foram feitos cookies com as farinhas produzidas com a casca e a amêndoa (caroço) da manga no Laboratório de Técnica e Dietética do Curso de Nutrição da Universidade. De acordo com a professora do Curso de Nutrição Sabrina Alves Ramos, co-orientadora do estudo, o resultado preliminar do novo produto é de grande importância nutricional. “A farinha elaborada possui grande teor de fibras, micronutrientes e compostos antioxidantes semelhantes ao da polpa da manga, o que auxilia na prevenção de doenças provenientes do estresse oxidativo”, diz.

Cogumelo do Sol

cogumelos

Já a terceira colocação ficou com o estudo Avaliação dos Efeitos da Alcalinidade na Produção do cogumelo Agaricus blazei. O cogumelo do Sol, nativo do Brasil, é composto por mais de 80% de água e, por esta característica, quis-se observar seu cultivo por meio da hidratação com água eletrolisada alcalina para verificar se haveria modificação nos aspectos físicos e propriedades químicas (antioxidantes). Com o estudo, foi comprovada a melhora no rendimento da atividade antioxidante, além do maior rendimento da produção com relação às dimensões e ao peso do cogumelo.

O trabalho foi realizado pelo professor Wiliam, a professora Alzira, e contou também com a colaboração da ex-aluna Elândia e do aluno do Curso de Nutrição Luiz Júlio Rocha de Oliveira.

Estímulo à investigação

A coordenadora do colegiado do Curso de Nutrição, professora Michely Capobiango, ressalta a importância das classificações obtidas no III Congresso. “As premiações dos trabalhos são uma forma de reconhecimento do esforço, competência e dedicação de todos os envolvidos nas pesquisas”, diz.

A realização dos três estudos pelos alunos da PUC Minas Barreiro se deu por meio do Programa de Bolsas de Iniciação Científica, patrocinados pela Universidade (Probic). As bolsas são para alunos dos cursos de graduação da PUC Minas que apresentam suas próprias propostas de projeto de pesquisa, sob a orientação de um professor ou pesquisador qualificado.

Para Flávio Ferreira Silva, aluno do 6º período do Curso de Nutrição que participou de um dos projetos, a oportunidade da pesquisa possibilitou que conhecesse um campo em que pudesse utilizar ainda mais suas ideias na área de estudo. “Tive a chance de fazer algo diferente que me proporcionou conhecer e analisar também o aspecto empresarial, desenvolvendo o trabalho científico com produtos e aplicando estratégias de marketing em conteúdo”, diz.

 


Saiba mais

  • Cogumelo
  • Os cogumelos são partes reprodutivas de fungos em um reino diferente do vegetal e do animal. Existem cogumelos com diferentes propriedades, como os comestíveis e medicinais, e os alucinógenos e venenosos.
  • Radicais livres
  • São substâncias envolvidas em inúmeros processos patogênicos, que vão desde o envelhecimento ao câncer, passando por aterosclerose e inflamações crônicas. Os radicais livres são gerados em nosso organismo e possuem uma alta capacidade de ligação entre moléculas importantes dos tecidos funcionais (até mesmo do DNA), causando sérios problemas aos mesmos.
  • Água eletrolisada alcalina
  • O bioquímico explica que a água eletrolisada “é a água com o pH elevado após o processo de eletrólise, o que facilita os processos gerais no bloqueio aos radicais livres”.
  • Fonte: professor Wiliam Régis
Texto
Janaína Soares
Ilustração
Carlos Fonseca
Fotos
Marcos Figueiredo
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais