revista puc minas

Graduação PUC Carreiras

Nova central de serviços apoiará estudantes e egressos no desenvolvimento de competências e habilidades para o mercado de trabalho

O futuro do trabalho chegou. E com ele novas habilidades e competências são tão valorizadas na construção da carreira quanto o diploma universitário. Aliás, o conceito de carreira acompanha os novos tempos. Tornar-se profissional já não é mais seguir uma trilha em linha reta, com início e final previsíveis. A construção da carreira já começa dentro da Universidade, durante a graduação e o conhecimento absorvido pode ser aplicado em uma área de atuação diferente da formação do profissional. “Não atuo na área da minha formação. Mas a graduação foi fundamental para a formação do meu senso crítico, o que faz toda a diferença no mercado de trabalho. Hoje, trabalho com um número grande de pessoas formadas em várias áreas. Quanto mais diversidade, maior a troca de experiências”, atesta Cássia Vidal, graduada em Publicidade e Propaganda pela PUC Minas e coordenadora de Monitoria e Experiência do Cliente de uma empresa de telefonia.

Com o objetivo de apoiar neste processo os alunos e egressos com até três anos de formados, a Universidade lança no dia 13 de novembro a PUC Carreiras, um centro de serviços para suporte a carreiras. “A carreira hoje é vista como um conjunto de possibilidades. A PUC Minas está criando essa central de carreiras para apoiar nossos alunos durante a sua formação. As experiências e conhecimentos adquiridos durante esta trajetória terão um importante papel no seu perfil profissional”, explica a professora Maria Inês Martins, pró-reitora de Graduação da Universidade.

As mudanças do mercado de trabalho exigem uma postura mais proativa do estudante. Além do conhecimento técnico, do saber fazer, o profissional tem que ter outras qualificações que garantem a empregabilidade. São as chamadas soft skills, termo usado por profissionais de recursos humanos para definir habilidades comportamentais e competências subjetivas. “O conceito de carreira foi modificado ao longo do tempo. O estudante precisa, agora, ficar atento aos seus interesses de atuação e acompanhar o que o mercado sinaliza como tendência”, explica a professora e coach de carreiras Raquel Furtado, assessora da nova área e gerente do projeto de implantação. É o que conta Cássia Vidal, que precisou flexibilizar o conhecimento adquirido na graduação para se estabelecer na carreira. “Passei por várias áreas e cresci profissionalmente. O profissional deve buscar constantemente se desenvolver em outras frentes e se tornar referência em outros assuntos. Durante a minha trajetória profissional tem sido exatamente assim. Atuei em atividades totalmente fora da minha ‘zona de conforto’, o que exigiu uma rápida mudança de postura e uma busca por novos conhecimentos”, avalia.

A PUC Carreiras pretende contribuir com a empregabilidade e trabalhabilidade do aluno, ou seja, ajudá-lo a tornar-se apto para os empregos e trabalhos que forem surgindo com o tempo. “O diferencial da PUC Minas neste contexto é que sempre oferecemos aos nossos alunos um amplo leque de atividades que naturalmente proporcionam o desenvolvimento destas habilidades”, afirma a professora Evanilde Maria Martins, diretora da PUC Carreiras. “A Extensão, por exemplo, naturalmente desenvolve várias habilidades e competências em seus participantes, como a responsabilidade social e a construção de projetos de intervenção numa realidade. O aluno vê, diagnostica, cria um projeto, propõe uma ação, e essa ação tem que ser coletiva, porque o contexto social não é individual. Então, a Extensão trabalha muito esse olhar”, detalha Evanilde. “A Pesquisa também trabalha de forma direcionada, aplicada. A construção de um projeto exige raciocínio lógico muito bem organizado e planejamento”, complementa. “A novidade é que, com a PUC Carreiras, ficará mais fácil para o aluno estabelecer a ligação entre as atividades realizadas nos estágios e atividades de pesquisa e extensão e as competências que estão sendo adquiridas”, esclarece a diretora da PUC Carreiras.

O desenvolvimento das soft skills também tem sido contemplado pelo Ministério da Educação (MEC) nas diretrizes dos cursos de graduação. “Está muito claro nas diretrizes dos cursos de engenharia, por exemplo, que ao lado da formação técnica e sólida, espera-se que o engenheiro saia da graduação com as soft skills desenvolvidas. Formação humanística consolidada, capacidade de liderança e colaborativismo são algumas delas”, explica a professora Maria Inês. “O estágio tem seu papel, é o maior vínculo com a prática profissional, sempre foi. Mas hoje vejo que, na formação deste profissional, o voluntariado e outras perspectivas de convivência com culturas diferentes muitas vezes são tão importantes quanto a própria prática profissional em uma empresa”, completa.

Protagonista da própria formação

Para a implantação da PUC Carreiras, a Coordenação de Estágio Integrado ampliou seu escopo de atuação e o estágio passa a ser uma das frentes de atuação. “A Universidade sempre teve um posicionamento ativo nesta ponte com o mercado de trabalho e o estágio sempre foi visto como uma estratégia de formação. A PUC Carreiras é mais um passo nesta direção, de apoiar o aluno como protagonista da sua formação”, explica a professora Evanilde. O trabalho da Coordenação de Estágio Integrado é uma referência na área, tendo sido contemplado por quatro anos consecutivos, 2007 a 2010, pelo prêmio Melhores Práticas de Estágio, concedido pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais. Isso porque toda a estrutura do estágio foi pensada com uma capilaridade dentro da Universidade, até chegar na sala de aula. “Temos coordenadores de estágio atuando dentro de cada um dos campi e unidades e também em cada um dos cursos de graduação. Essa capilaridade nos permite implantar a PUC Carreiras com tranquilidade”, diz Evanilde.

A implantação desse centro de serviços acontecerá em duas fases. Na primeira, a partir de novembro de 2019, estão previstas ampliação da oferta de vagas de estágio e emprego, apoio no planejamento da carreira, incluindo a construção do currículo e preparação para os processos seletivos, oportunidade de relacionamento com empregadores dentro das unidades, participação em bancos de currículo que podem ser pesquisados pelas empresas interessadas e oferta de cursos on-line e workshops voltados para o desenvolvimento de competências comportamentais. Todos os serviços serão gratuitos para os alunos e egressos da PUC Minas. “Queremos apoiar os alunos durante toda sua trajetória, desde que entram na PUC até depois que se formam, facilitando sua entrada no mercado de trabalho”, afirma a professora Evanilde . A partir da segunda fase, em 2021, a nova área da PUC Minas vai auxiliar os alunos também com análise individual de currículos, simulação de entrevistas de estágio e emprego, orientações individuais e mentoria.

Para o gerenciamento desses serviços que serão oferecidos pela PUC Carreiras, a Universidade contratou a plataforma CSM – Career Services Management, utilizada pelas maiores Universidades dos Estados Unidos e Europa (veja quadro).

Importância do ex-aluno

“O conceito de carreira foi modificado ao longo do tempo. O estudante precisa, agora, ficar atento aos seus interesses de atuação e acompanhar o que o mercado sinaliza como tendência.”

Professora Raquel Furtado, assessora da nova área e gerente do projeto de implantação

Além dos alunos da graduação, os ex-alunos terão importante papel no desenvolvimento do projeto por meio do programa Alumni. “Os ex-alunos serão chamados para contribuir e também a fazerem parte de todo esse processo. Será uma relação ganha-ganha”, explica a pró-reitora Maria Inês. “O ex-aluno continuará a ter contato com a comunidade acadêmica e poderá usufruir de todos os serviços oferecidos pela PUC Carreiras”. Em contrapartida, essa central contará com o apoio dos egressos, participando de pesquisas de acompanhamento profissional. “A partir de dezembro de 2019, iremos acompanhar a trajetória profissional de todos os egressos, realizando pesquisas frequentemente para saber onde e como estão trabalhando e seu nível de satisfação. Queremos manter esse relacionamento de forma continuada”, afirma a professora Raquel Furtado.

Para a Universidade, o grande ganho, a médio prazo, será a construção dos projetos pedagógicos, que serão muito mais calcados na realidade dos profissionais”, afirma a professora Maria Inês. “Quando queremos avaliar, reestruturar, propor movimentos nos projetos pedagógicos, nunca deixamos de pensar no egresso. Até o momento ele tem sido coadjuvante. Mas agora ele vai ser o ator principal do próprio processo”, completa.

O projeto prevê acesso completo ao conteúdo do sistema durante os três primeiros anos após a sua formatura e, a partir de 2021, a implantação de um programa de mentoria dos egressos para os alunos de graduação.

Com a implantação da ferramenta, serão disponibilizadas mais de 30 mil vagas públicas de emprego, além das 25 mil vagas de estágio e emprego já disponíveis no Sistema de Gestão de Estágio (SGE), que também será migrado para a nova plataforma. “O aluno passará a acessar em um só ambiente todas as oportunidades relacionadas a estágio, extensão, pesquisa, monitoria, internacionalização, cursos livres, voluntariados e empregos”, explica a professora Raquel Furtado.

Fique por dentro dos conceitos

Empregabilidade: conceito que surgiu nos anos 90 refere-se ao valor de um profissional no mercado de trabalho. Diz respeito ao quanto a carreira vale para o mercado de trabalho. Profissional como protagonista da sua carreira.

Trabalhabilidade: conceito que surgiu nos anos 2000 e é mais avançado em relação à empregabilidade. Refere-se à capacidade de gerar trabalho. De se ver produzindo na economia através de atividade de empregado, consultor, empreendedor, ou seja, ligado a múltiplas formas de trabalho.

Diz respeito às diversas formas como o trabalhador transforma o conhecimento, a capacidade de produzir, em algo útil na economia.

Soft skills: termo usado por profissionais de recursos humanos para definir habilidades comportamentais e competências subjetivas. Está relacionado à capacidade de lidar com pessoas, as relações interpessoais. A empatia, comunicação, resiliência, capacidade de entender o próximo e o todo são exemplos de soft skills valorizadas pelo mercado de trabalho.

VEJA COMO FUNCIONA A PUC CARREIRAS

  • Na plataforma adotada pela PUC Carreiras, os alunos e egressos poderão visualizar mais vagas de estágio hoje ofertadas pelo SGE, além de vagas de emprego.
  • PUC Carreiras também irá disponibilizar modelos de currículo de fácil preenchimento, para garantir que todos tenham um currículo atraente para o mercado.
  • Cada aluno e egresso terá um perfil, com espaço para colocar informações, interesses, o link de uma página própria e documentos, como projetos de que já participou e produtos que já criou.
  • Alunos e egressos poderão seguir e curtir empresas onde têm interesse em estagiar ou trabalhar e visualizar os diversos eventos promovidos pelo setor.
  • Para o primeiro semestre de 2020, já estão previstos 24 eventos voltados para o planejamento e desenvolvimento de carreira, tanto presenciais quanto on-line, além de vários bate-papos com grandes empresas e startups.
  • No Portal da PUC Carreiras, os alunos e egressos também terão acesso a uma biblioteca de conteúdos, que será atualizada constantemente. Nessa área, serão disponibilizados vídeos, notícias divulgadas pela imprensa sobre futuro do trabalho, tendências do mercado e empregabilidade e tudo que possa auxiliar na construção da carreira.
  • A PUC Carreiras também promoverá workshops presenciais e webinários voltados para ajudar no planejamento de carreira, como fazer um currículo, dicas para entrevistas de estágio e emprego.
  • Também irá auxiliar aqueles alunos que tenham dúvidas sobre o curso escolhido ou a carreira a seguir a partir do curso escolhido.
  • O atendimento dos alunos com questões de estágio continuarão a ser feitos nas unidades e registrados na plataforma.
  • A partir do levantamento da demanda, no segundo semestre de 2020, começarão a serem ofertados atendimentos pessoais de orientação de carreira.

 

Acesse

Texto
Michelle Stammet
Foto
Raphael Calixto
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais