revista puc minas

Pós-graduação e pesquisa Stricto sensu de excelência

Maturidade de programas de mestrado e doutorado resulta em pesquisa e parcerias de qualidade

A PUC Minas, há décadas, investe de forma maciça em pesquisa e pós-graduação, o que resultou, ao longo dos anos, em estudos de qualidade, que beneficiam a sociedade, premiados em âmbitos nacional e regional, e programas de pós-graduação stricto sensu de excelência, com notas elevadas nas avaliações da Capes/MEC, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e o desenvolvimento da pós-graduação stricto sensu que tem sido progressivo ao longo dos anos.

Dos 29 cursos entre mestrados acadêmicos, mestrados profissionais e doutorados, 16 têm nota cinco (muito bom) ou superior, numa escala que vai de um a sete. “Isso é de se comemorar. A Universidade faz um investimento vultoso na pós-graduação e na pesquisa. Nossos cursos de mestrado e doutorado revelam uma maturidade da Instituição e a tendência é de crescimento da oferta”, avalia o pró- reitor de Pesquisa e de Pós-graduação, professor Sérgio de Morais Hanriot. O primeiro Programa de Pós-graduação stricto sensu, o de Letras, foi iniciado em 1989. Atualmente, PUC Minas possui 17 Programas de Pós-graduação em diversas áreas do conhecimento. No total, são mais de 1,5 mil estudantes no stricto sensu e 180 grupos de pesquisas cadastrados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A qualidade oferecida pela PUC Minas na pós-graduação a credencia, ainda, a oferecer mestrados e doutorados em outras instituições de ensino superior, os chamados mestrados e doutorados interinstitucionais, como é o caso do de Letras, recentemente implantado junto ao Centro Universitário Cesmac, em Maceió (AL); o de Geografia – Tratamento da Informação Espacial, no Centro Universitário de Caratinga (Unec – MG); e o de Direito, na Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro – AM).

Esse empenho na qualidade da pós-graduação e da pesquisa, que se inicia na graduação, vem resultando também em importantes premiações, como no Prêmio Capes de Tese e no Prêmio Jovem Cientista, e pode ser evidenciado nos trabalhos apresentados no Seminário de Iniciação Científica da própria PUC Minas. Somente no Prêmio Capes de Tese, o mais importante da pós-graduação no país, já foram pelo menos seis vencedores por área de conhecimento e menções honrosas, tendo sido o mais recente em 2017, com menção honrosa na área de Administração. Os programas também colecionam prêmios nas importantes associações de pesquisa e pós-graduação de suas respectivas áreas do conhecimento. E, em outro importante prêmio, o Jovem Cientista, do CNPq, de 2008, a vencedora, na categoria estudante do Ensino Superior, teve financiamento da PUC Minas no Programa de Bolsas de Iniciação Científica (Probic) e gerou dicionário digital que traduz para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) cerca de 300 vocábulos da área de Filosofia.

Programas de financiamento de pesquisas

Os então estudantes de Engenharia Eletrônica e de Telecomunicação desenvolveram a Mão Tradutora de Libras

Programas de financiamento da PUC Minas, como o Fundo de Incentivo à Pesquisa (FIP), e de agências públicas de fomento como o Probic/Fapemig e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti/CNPq) e Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic/CNPq), somam-se à iniciação científica voluntária na Universidade. Tradição de pesquisas de qualidade que também se reflete nos 25 anos do Seminário de Iniciação Científica da PUC Minas.

Como um relevante exemplo de iniciação científica, um grupo de estudantes, então no Curso de Engenharia Eletrônica e de Telecomunicação, produziu, em 2016, a Mão Tradutora de Libras, um equipamento para facilitar o dia a dia dos surdos-mudos. A partir de um microcontrolador, o arduíno, faz interface com um teclado similar àquele utilizado em computadores e converte as letras e palavras digitadas em comandos que geram movimentos correspondentes à linguagem de libras, reproduzidos pela mão mecânica.

Também as parcerias de décadas com as empresas e agências de fomento permitem impulsionar a pesquisa na graduação e na pós-graduação da Universidade. Uma dessas parcerias gerou o SIMCenter, centro de simulação veicular, com investimentos da PUC Minas, Fiat Chrysler Automobiles e BNDES. A chamada tríplice hélice, envolvimento da Universidade, empresa e governo para gerar conhecimento, se frutificou também no Centro de Pesquisa em Motores, Emissões e Combustíveis (CPMEC), que tem investimentos da PUC Minas, Petrobras, Vale, Fapemig e Cemig. “É uma amostra inequívoca de que a Instituição enxerga essas parcerias como indutoras de geração e produção de conhecimento e inovação dentro da Instituição, projetando-a para o futuro”, frisa o professor Sérgio Hanriot.

Editora PUC Minas

A pesquisa produzida deve ser compartilhada com a sociedade e um dos importantes instrumentos de divulgação é a Editora PUC Minas. Criada em 2002, a Editora integra a PROPPG e busca oferecer à comunidade acadêmica, e à sociedade, publicações de docentes e pesquisadores. São 138 obras de 190 autores publicadas, disponíveis em sua livraria virtual, www.editora.pucminas.br, e em diversas livrarias físicas. De acordo com o pró-reitor, a Editora PUC Minas cada vez mais trabalhará na publicação de e-books. “A Editora, que possui obras riquíssimas, tem um papel crucial de mostrar para a sociedade o que a PUC Minas está produzindo”, pontua.

Os benefícios da internacionalização

A pesquisa e a pós-graduação também se beneficiam, e muito, do processo de internacionalização na Universidade. Passos em direção à internacionalização da PUC Minas têm sido mais frequentes desde a criação, em 2014, de comitê destinado a elaborar essa política. Normas acadêmicas regulam a cotutela (cooperação acadêmica, nos âmbitos dos Programas de Pós-graduação, nos quais os discentes recebem orientação compartilhada) com ou sem diplomação, os estágios internacionais, os professores visitantes e a oferta de disciplinas em outros idiomas. O professor Sérgio Hanriot assinala que a cotutela se torna importante para os Programas de Pós-graduação da PUC Minas pelas possibilidades de se aumentar o número de teses defendidas, melhorar a qualidade dos veículos de publicação e, principalmente, pela internacionalização dos Programas, condição essencial para a obtenção do nível de excelência junto à Capes.

 

Algumas importantes premiações em pesquisa

  • Prêmio Capes de Tese 2017 – melhor tese defendida no país em 2016 nas áreas de administração, ciências contábeis e turismo – Pastores como Empreendedores: análise sob a perspectiva comportamental e relacional. Autor: Victor Silva Correa. Orientadora: profª Gláucia Maria Vasconcellos Vale.
  • Prêmio 2014 – Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica – CNPq – categoria Bolsista de Iniciação Científica, área de Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes: Jamine Guedes Miranda. Orientadora: profª Sandra Pereira Tosta – trabalho Georreferenciamento e Análise Cultural de Grupos Juvenis em sua relação com a Escola e com a cidade de Belo Horizonte/MG.
  • Prêmio Capes de Tese 2012 – menção honrosa na área de Geografia – Sistemas de Restrições Geográficas à Indústria da Cana-de-açúcar no Centro-Oeste Mineiro: um estudo regional. Autor: Devid Lúcio López. Orientador: prof. Oswaldo Bueno Amorim Filho.
  • Prêmio Capes de Tese 2011 – menção honrosa na área de Geografia – A Importância Cultural do Carste e das Cavernas. Autor: prof. Luiz Eduardo Panisset Travassos. Orientadores: professores Oswaldo Bueno Amorim Filho e Andrej Kranjc (Univerza v Novi Gorici, Eslovênia).
  • Prêmio Capes de Tese 2008 – a melhor tese produzida no Brasil no ano anterior em Letras/Linguística – O Atlântico em movimento: travessia trânsito e transferência de signos entre África e Brasil na poesia contemporânea em língua portuguesa. Autora: Prisca Agustoni Pereira. Orientadora: profª Maria Nazareth Fonseca.
  • Vencedora categoria Ensino Superior no XXIII Prêmio Jovem Cientista de 2008 – pesquisa O Dicionário Temático da Língua Brasileira de Sinais: a criação de sinais específicos da Filosofia – então aluna Terezinha da Costa Rocha, do Curso de Filosofia, orientada pelo prof. Pedro Perini Santos e co-orientada pela profª Heliane Alves de Carvalho Costa.
  • Prêmio Capes de Tese 2007: melhor tese na área de Letras/Linguística – A Porosidade Poética de Riobaldo, o Cerzidor: ritmo, transcendência e experiência estética em Grande Sertão: Veredas. Autor: prof. Breno Andrade de Marçolla. Orientadora: profª Márcia Marques de Morais.
  • Prêmio Capes de Tese 2006: menção honrosa na área de Direito – A Racionalidade das Decisões Judiciais à Luz dos Princípios da Publicidade e da Fundamentação. Autor: prof. Alberico Alves da Silva Filho. Orientação: prof. Carlos Augusto Canêdo Gonçalves da Silva.
Texto
Leandro Felicíssimo
Foto
Marcos Figueiredo
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais