revista puc minas

Inovação Tijolo ecológico

Cascas de bananas são utilizadas como principal matéria-prima em obras de pequeno porte

O que para muitos tem como destino apenas a lata de lixo ou ingrediente para um saboroso bolo, a casca da banana, fruta mais consumida pelos brasileiros, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), serviu para os estudantes Diego Silva e Mateus Bravo de Aguiar, do Curso de Engenharia Civil da Unidade Barreiro, em Belo Horizonte, como inspiração para produzirem algo inovador na área da construção civil: tijolos ecológicos que utilizam casca de banana, ao lado de cimento, argila e água. Eles pesquisaram, por meio do Programa de Bolsas de Iniciação Científica (Probic), financiado pela Universidade, os componentes da casca da banana e verificaram que ela possui a sílica, um mineral contido no cimento, responsável por dar liga e flexibilidade a esses blocos estruturais, popularmente conhecidos como tijolos.

A ideia de fabricação do tijolo surgiu a partir de observações no Restaurante Popular Dom Mauro Bastos, localizado nas imediações da Unidade, onde os estudantes têm o hábito de almoçar desde o início da graduação. Ali perceberam que, semanalmente, eram descartadas grandes quantidades de cascas da fruta, geralmente servida como sobremesa. “Como ao longo de toda a nossa formação acadêmica somos estimulados a ter uma visão sustentável e criar soluções que diminuam o impacto no meio ambiente, começamos a pesquisar os componentes da casca da banana e vimos que ela possui a sílica”, explica Mateus.

 

foto-1-12
Diego Silva e Mateus Bravo são os idealizadores do produto, inovador no mercado

Esse tijolo ecológico, que utiliza menor quantidade de cimento devido ao uso da casca de banana, tornando-se mais rentável, é destinado apenas a obras de pequeno porte, como fogões a lenha, bases de mesas e objetos de decoração. Todos os testes necessários foram realizados pelos alunos, com sucesso, para comprovar a solidez do produto para esse tipo de obra. O tijolo, no entanto, não é recomendado para obras de grande porte por não possuir a resistência necessária, prevista pela norma NBR 8491, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Para Ana Lucia Chagas Barbosa Santos, especialista em Construção Sustentável, a criação de produtos que oferecem benefícios ambientais, seja para a construção civil ou objetos de decoração, como o tijolo ecológico produzido pelos alunos é, atualmente, um diferencial de grande importância no mercado. “A sociedade busca um novo modelo de desenvolvimento, no qual o consumo de recursos naturais seja reduzido, bem como seu desperdício”, pontua.

A professora do Curso de Engenharia Civil Raquel Sampaio Jacob, orientadora desse projeto de pesquisa no Probic, observa que, com a utilização da casca da banana como principal matéria-prima, o meio ambiente foi beneficiado com a menor destinação do material para aterros sanitários, além da utilização de menor quantidade de cimento na fabricação do tijolo.

A indústria da construção, apesar de ser um dos setores produtivos mais importantes para a economia, é uma das que mais geram resíduos e que consomem grande quantidade de recursos naturais, segundo o Conselho Internacional da Construção (CIB).

Com o intuito de minimizar os impactos ambientais, a arquitetura convencional vem passando por uma série de mudanças. Atualmente, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a melhoria da qualidade do ambiente construído se adequa à medida em que são utilizados materiais naturais, não prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, e que podem ser reciclados, como partes de frutas, como é o caso do tijolo ecológico.

Texto
Janaína Soares
Foto
Rossana Magri
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais