revista puc minas

Globalização Universidade aberta para o mundo

Stefano Guilherme Costa Squarcio: “Tenho a intenção de me mudar para a Alemanha após me formar. Ter também o diploma da Universidade de Schmalkalden poderá me auxiliar”

Dupla diplomação e mais de 150 convênios com instituições estrangeiras colocam a PUC Minas na linha de frente da internacionalização

Nove alunos do Curso de Engenharia Mecânica que retornaram este semestre de intercâmbio na Universidade de Schmalkalden, na Alemanha, poderão ter o diploma da PUC Minas e da universidade alemã após concluírem o curso na PUC. A dupla diplomação é apenas uma das diversas oportunidades que estão abertas aos alunos da Universidade, por meio de parceria com 155 instituições estrangeiras, em convênios bilaterais, que possibilitam a eles ampliar as experiências acadêmicas e pessoais e se destacar na carreira profissional e no mercado de trabalho.

As outras oportunidades disponíveis para os alunos da Universidade são estágio no exterior, orientação de professor estrangeiro em trabalhos acadêmicos (cotutela), parcerias com instituições de ensino de idiomas, cursar disciplinas em inglês na Universidade, além de imersão em idioma no país escolhido ou realizar cursos customizados no exterior com descontos significativos. Os benefícios se aplicam a alunos da graduação e da pós-graduação.

A Universidade tem hoje expertise na área de intercâmbio e é reconhecida nacional e internacionalmente. “A internacionalização não é só uma exigência, mas um valor agregado. Hoje, competimos com as maiores universidades públicas do Brasil no que diz respeito aos números de convênios assinados com instituições estrangeiras e à política de internacionalização”, afirma a professora Rita Louback, coordenadora da Assessoria de Relações Internacionais da Universidade, órgão da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Seplan).

A Universidade vem dando passos largos nessa área. “De 2017 para cá aumentaram consideravelmente os convites para irmos a fóruns e dar cursos de como se monta uma assessoria de relações internacionais. Estamos em todas as redes e associações importantes, em locais estratégicos como a direção desses órgãos, e a PUC Minas se tornou referência para outras instituições. Realmente nos consolidamos e nossa atuação é reconhecida”, disse, garantindo que o amadurecimento dessa trajetória se deve à rede de relacionamentos construída ao longo dos anos.

A PUC Minas integra grandes fóruns da área como a Associação Brasileira de Educação Internacional (Faubai), o Grupo Coimbra de Universidades (GCUB), a Rede Uniminas, composta por instituições de ensino federais e estaduais de Minas Gerais – sendo a PUC Minas a única particular a fazer parte –, a Associação Internacional de Educadores (Nafsa), em que participam oito mil instituições de todo o mundo, e a Associação Europeia de Educação Internacional (EAIE). Em alguns desses fóruns, a PUC Minas ocupa cargos estratégicos, como a presidência da Rede Uniminas há dois mandatos consecutivos, desde a sua fundação, a secretaria da Faubai e a secretaria adjunta do Grupo Coimbra.

Recentemente, a Universidade integrou uma missão do governo de Minas, em Genebra, na Suíça, no EAIE, que reúne assessores de Relações Internacionais de todo o mundo. “Representantes de várias universidades da Rede Uniminas foram para esse evento representar a área de internacionalização de suas instituições, além de reforçar Minas Gerais no cenário acadêmico internacional”, informa a assessora de Relações Internacionais. Outra conquista importante é o escritório do Education USA, instalado no Campus Coração Eucarístico desde 2014. Tal escritório, o único mantido em uma universidade em Minas Gerais, tem o objetivo de prestar informações sobre oportunidades educacionais em instituições de ensino superior dos Estados Unidos para qualquer interessado, sendo ou não da PUC Minas.

Para os próximos anos, a professora aponta como desafio internacionalizar ainda mais os currículos, aumentando a oferta de disciplinas em outros idiomas, principalmente em inglês: “Isso irá atrair um maior número de alunos e professores estrangeiros”.

Dupla diplomação

Stefano Guilherme Costa Squarcio, do 6º período do Curso de Engenharia Mecânica, do Campus Coração Eucarístico, é um dos alunos que realizaram o intercâmbio na Universidade de Schmalkalden, na Alemanha. Para ele, estudar nesse país era um sonho, porque a Alemanha é referência na área da Engenharia Mecânica e que foi possível de ser realizado graças à parceria da PUC Minas com a universidade alemã. Ele acredita que o intercâmbio em si, que teve duração de um ano, já será bom para a sua carreira profissional, mas o diploma duplo, após se formar, será um diferencial competitivo.

O projeto de dupla diplomação em breve irá contemplar o Politécnico de Torino, em Turim, na Itália, e estão em andamento negociações nesse sentido com a Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, Portugal. Neste segundo semestre de 2018, outros dez novos alunos do Curso de Engenharia Mecânica foram para a Universidade de Schmalkalden realizar intercâmbio com a intenção de obter dupla diplomação.

Ao todo, 985 alunos da PUC Minas já realizaram intercâmbio. Por meio das parcerias internacionais, são oferecidas mais de 500 vagas em instituições de quase todos os continentes, incluindo escolas renomadas como a Universidade de Sorbonne (França), Universidade de Bolonha (Itália), Universidad de Castilla-La Mancha, na Espanha e The Hague University, na Holanda. Em contrapartida, a PUC Minas já recebeu 508 estudantes de universidades estrangeiras. Nos dois casos, o aluno paga apenas gastos pessoais, como transporte e hospedagem, sendo isentos da matrícula e da mensalidade. Também há programas para alunos de baixa renda, com todas as despesas pagas. As inscrições para os processos seletivos acontecem durante todo o ano.

Texto
Tereza Xavier
Foto
Raphael Calixto
Compartilhe
Fale Conosco
+Mais